martes, 2 de enero de 2018

BTC / XBT

Bitcoin é um valor digital distribuído como moeda de livre circulação, unidade de conta comercial, titulo, divisa e médio eletrônico de intercambio entre iguais que oferece pagamentos rápidos, baratos e altamente privados.

A bitcoin foi a primeira moeda criptográfica existente. Divisa programável como meio de troca sem conversão de moeda que usa regras de criptografia para controlar as quantidades disponíveis e verificar as transações.

Bitcoin, com letra maiúscula, é uma rede nó a nó ou ponto-a-ponto (P2P descentralizada peer-to peer) uma forma privada de comunicar-se via eletrônica, que ajuda a facilitar transações sem fricção nem intermediário.

Bitcoin também pode ser chamada de tecnologia de transferência de valor que se baseia em uma rede de código aberto em protocolos cifrados, um processo de segurança comprovado matematicamente.

Com b minúscula, bitcoin é uma moeda virtual que existe na rede Bitcoin; percebida como unidade de intercambio de dinheiro para a Internet do Valor da mesma forma em que o dólar, o euro ou a libra esterlina o são para os Estados Unidos, Europa e Reino Unido.

O protocolo da cadeia de blocos de eventos vitais é uma mudança radical no paradigma de arbitrar confiança, porque significa que você pode acreditar na verdade da matemática de memoria coletiva e colaborativa que compartem miles de miles de usuários, em vez das empresas ou de outras organizações.

A tecnologia de base de datos da cadeia de blocos é crucial por sua capacidade de permitir que grandes grupos de indivíduos se coordenem uns com os outros, mantendo uma única fonte de verdade e um conjunto compartilhado de regras de negócios em entidades legalmente separadas, resistente à censura, sem que ninguém possa alterá-las e controlar o sistema.

Um protocolo é uma combinação de tecnologias que possibilitam a construção de um registro digital lacrado com data e hora para fazer operações e processar blocos de informação melhor e mais rápido, que podem ser distribuídos, compartilhados e sincronizados entre vários computadores e cujo conteúdo não pode ser alterado, modificado ou excluído sem consenso da rede de usuários.

Sendo o desenvolvimento imutável de um sistema de armazenamento tecnológico que não permite corromper as informações contidas na cadeia de blocos, conseguindo encapsular, identificar e certificar com segurança e eficiência. Um banco de dados distribuído que mantém uma lista crescente de registros ordenados.

Um blockchain é um livro que usa criptografia e incentivos para registrar transações de maneira inviolável. Isso permite transações minimizadas pela confiança entre partes pseudônimas sem a necessidade de um intermediário confiável.

Em um sistema baseado em blockchain, ninguém pode se estabelecer como o governante ou hegemon. Acostumados a depender para todo propósito de um escriba, intermediário ou terceiro de confiança que mantém nosso dinheiro, propriedade e registro médico, e quem também certifica nossa identidade - o campo digital pode simplificar e compilar a segurança dessas relações.

Automática e continuamente os nós concordam com a versão atual do livro contábil distribuído e cada transação que é adicionada. Se alguém tentar corromper uma transação, os nós não chegarão a um consenso e, portanto, recusarão validar a transação na cadeia de blocos, a única fonte de confiança compartilhada.

Conhecido como o problema oráculo porque você precisa confiar em alguém para obter os dados. Uma vez que os dados estejam na cadeia, eles se tornam evidentes. Significa que temos controle, mas nenhum de nós está no controle do sistema.

Se o blockchain é distribuído, como o é seguro? Porque usa criptografia para gerar assinaturas digitais, com o conceito da chave privada e da chave pública.

Cada um de nós recebe a própria chave privada e a chave pública do outro. A chave privada pode ser acessada apenas pelo proprietário individual dessa chave. A chave pública de cada um de nós tem acesso às chaves públicas da rede.

Para criar uma nova transação, criptografo as informações com minha própria chave privada para fazer uma assinatura digital. No processo, a rede descriptografa a assinatura digital usando a chave pública fornecida e extrai as informações dessa assinatura.

Se as informações originais corresponderem às informações extraídas da assinatura, ela aprova.

Se as informações não corresponderem, a informação original pode haver sido manipulada em algum lugar, ou a assinatura digital foi gerada com a chave privada que não corresponde à chave pública fornecida.

Sistemas centralizados são vulneráveis porque dependem de uma unidade central para manter sua operação. Se a segurança desta unidade central estiver comprometida, todo o sistema entra em colapso. Sistemas descentralizados são mais seguros porque mantêm várias unidades difíceis de violar.

Mas mesmo se você tiver sua senha de usuário, a organização que fornece o serviço pode acessar livremente aos dados críticos, e ainda que criptografados, paralisar qualquer acesso, isto por depender da confiança em um terceiro.

Em sistemas distribuídos, a segurança é repartida por toda a rede, o que impossibilita sempre que intrusos comprometam o sistema.

Bitcoin é um protocolo de código aberto descentralizado e distribuído que pode ser auditado por qualquer pessoa. Então, em vez de confiar em uma única contraparte, é preciso de um grupo de apoiadores de protocolo, chamados mineiros, que estão confirmando as transações ao resolver um desafio matemático.

O Bitcoin apresenta uma oportunidade para reinventar o ouro, ou mesmo repensar o dinheiro para o futuro digital, com base em seu grau de liquidez.

Muitos itens podem desempenhar um papel monetário e alguns outros podem desempenhar esse papel com mais eficiência. De várias maneiras, bitcoins têm um alto grau de liquidez. Eles são mais portáteis, duráveis, divisíveis e escassos do que o ouro e a moeda fiduciária dos governos.

Os bitcoins podem ser melhor descritos como bens genéricos ou commodities digitais com propriedades monetarias, meio de troca e unidade de conta.

Proponentes de bitcoins como dinheiro digital acreditam que a utilidade deve inicialmente ter precedência sobre a reserva de valor, e priorizar atingir o meio de troca de papel antes de armazenar valor, tornando os pagamentos o mais baratos possível.

A natureza desinflacionária e o limite de oferta do bitcoin o tornam o dinheiro mais sólido já inventado. O bitcoin, com sua oferta monetária fixa, é a única forma justa de dinheiro, bem como a que permite a alocação mais eficiente de capital pelos indivíduos e a sinalização de preço mais eficiente pelo mercado como um todo.

A rede Bitcoin e seu registro distribuído em cadeia de blocos de valor, são muito seguras com uma grande quantidade de poder de computo que funciona para protegê-la, um processo algorítmico e criptográfico complexo.

Com a tecnologia da cadeia de blocos de valor, milhares de indivíduos em todo o mundo conectam seu poder de computação ao serviço da rede onde os dados criptografados são armazenados em nós de forma segura e distribuída, sem indivíduos ou organizações que possam modificar ou paralisar o serviço, tudo sob um código público criptografado que ajuda a garantir que a confiança esteja nas mãos daqueles que mantêm a chave de informação, principalmente a gente mesmo.

Uma cadeia de blocos pode ser pública, privada ou consorciada. A validação por consenso se faz entre usuários perfeitamente identificados. A informação das transações está agrupada em blocos, é imutável e protegida em uma rede nodal compartilhada, não pode ser apagada e é registrada em um histórico.

Bitcoin é o melhor e mais seguro blockchain que tem o efeito de rede mais forte, a política monetária mais desejável e uma linguagem de script ou arquivo de pedidos altamente capaz que permite o seu desenvolvimento futuro.

As moedas criptográficas são mais do que apenas dinheiro e pagamentos eletrônicos. É dinheiro esperto. Cada satoshi como uma unidade de bitcoin é identificável e programável individualmente. Isso significa que os usuários podem atribuir propriedades a ele. Eles podem, por exemplo, designar uma unidade para representar uma fração monetária, um voto eleitoral, uma ação de uma empresa, um certificado digital de propriedade ou outras múltiplas formas de posse.

O uso da abreviatura XBT para Bitcoin está sendo estendido, porque se adapta melhor ao padrão internacional de moedas que não pertencem a um país específico, como é o caso do ouro (XAU) e da prata (XAG).

Para representar Bitcoin o símbolo ) também é usado. e foi o primeiro na versão inicial de Satoshi Nakamoto. Este símbolo ) está incorporado no padrão Unicode (U + 20BF).

Uma divisa é um mecanismo de armazenamento de valor e uma promessa de reembolso. Bitcoin es una crypto-divisa porque funciona de maneira similar a una moneda extranjera auto-conversível.

As cryto-moedas são um produto perfeito e elegante que tem todas as características do dinheiro, sendo portanto moeda e matéria-prima, mas sem inflação ou peso; mas também com todas as características do ouro, mas sem peso ou deflação.

A desconfiança do dinheiro em si é o que causou a criação do Bitcoin.


Bitcoin é pois criptografía, cadeia de blocos e prova de trabalho con incentivos.

O inventor ou grupo anônimo publicou a 31 de outubro de 2008 um documento com o título: ´Bitcoin: A Peer-to-Peer Electronic Cash System´, também chamado o ´livro branco do bitcoin´, a prova de conceito, e em seguida lançou-o como software de protótipo open source em 2009.

Satoshi Nakamoto é o pseudônimo usado por um grupo de pessoas que inventaram bitcoin. Sendo que Satoshi significa sabedoria ou ração, e Nakamoto quer dizer fonte central.

Satoshi Nakamoto desenvolveu o protocolo original e a tecnologia blockchain ou cadeia de blocos, arquitetura de sistema subjacente a Bitcoin.

Esta entidade em principio não associada a nada foi o criador da Bitcoin / BTC.

Bitcoin usa tecnologia peer-to-peer ou punto a punto, que se refere a sistemas que funcionam como uma organização coletiva, permitindo que cada indivíduo interaja diretamente com os outros, para operar sem uma autoridade central ou instituição bancária; gerenciar transações e emitir novo BTC por mineração, que é realizada coletivamente pela rede.

No que diz respeito ao Bitcoin, ele não é criado ou destruído, mas descoberto. Os dados e as transações pertencentes à rede Bitcoin são permanentemente guardados em ficheiros chamados blocos, cada um deles associado a um problema matemático.

A 3 de janeiro de 2009, o Bloco Gênesis de Bitcoin foi minerado com o número arbitrário 2083236893 e rendeu 50 Bitcoins. Uns dias mais tarde o sistema Bitcoin v0.1 foi lançado. Ainda no mês de janeiro a primeira transação Bitcoin foi efetuada entre Satoshi Nakamoto e Hal Finney, um programador criptográfico.

Em outubro de 2009, é atribuído à Bitcoin um valor em moedas tradicionais. A metodologia utilizada para fazer a conversão do valor em bitcoin para uma moeda tradicional, foi estabelecido em 1309,03 bitcoins por 1 dólar.

Este valor foi encontrado resolvendo uma equação que tinha como variáveis a quantidade de eletricidade necessária para manter o funcionamento de um computador com um processador potente, o custo domiciliário de eletricidade nos Estados Unidos e o número de bitcoin produzidos em 30 dias.

A primeira transação em contexto comercial ocorreu a 22 de maio de 2010 e envolveu a troca de 10 mil Bitcoins por duas pizzas a 25 dólares, o que sem dúvida marcou a passagem da moeda virtual para o mundo real.

As origens do protocolo Bitcoin podem ser rastreadas até a criptografia militar e sua evolução como um conceito técnico tem pelo menos 40 anos.

Em 1993, Eric Hughes, Timothy May e John Gilmore fundaram a Cygnus Solutions em São Francisco, na Califórnia, um grupo de trabalho tecnológico que argumentou que ´na era eletrônica, uma sociedade aberta precisa de privacidade, o que não é secreto. Um assunto privado é algo que você não quer compartilhar, diferente de um segredo que é algo que você não quer que ninguém saiba. A privacidade é o poder de escolher o que queremos revelar ao mundo´.

Em 1977, Adam Back criou o hashcash, projetado como um mecanismo antispam que adicionou um custo em tempo e processamento computacional ao envio de um e-mail, fazendo com que o lixo digital não fosse ser lucrativo.

Em 1998, Wei Dai publicou a proposta de um B-money ou ´moeda B´, uma maneira prática de cumprir acordos contratuais entre anônimos. Ele descreveu dois conceitos hoje familiares: um protocolo no qual cada participante mantém um banco de dados independente sobre quanto dinheiro pertence ao usuário; e uma variante em que as contas de quem tinha quanto dinheiro foram mantidas por uma parte dos participantes, instados a ser honestos, colocando seu dinheiro como garantia.

Em resumo, as primeiras provas de conceito em dinheiro e-cash falharam, e isso demorou um pouco para convencer as pessoas de sua viabilidade técnica e econômica e passar para concepções mais expansivas do protocolo.

A rede de pagamentos p2p barata é o que Satoshi Nakamoto tinha em mente - uma moeda simples para transações de internet peer to peer. Como as micro-transações são um componente chave do comércio na internet, os defensores dessa visão geralmente acreditam que baixas taxas e conveniência são uma característica essencial de tal moeda.

Ouro digital resistente à censura é o contraponto à narrativa de pagamentos do p2p, essa é a visão de que o Bitcoin representa principalmente um patrimônio intergeracional, não inflável, em grande parte não visível, que não pode ser interferido pelos bancos ou pelo Estado.

Os defensores dessa postura não enfatizam o uso do Bitcoin nas transações cotidianas, argumentando que a segurança, a previsibilidade e o conservadorismo no desenvolvimento são mais importantes.

A visão de que o Bitcoin é útil para transações on-line anônimas, em particular para facilitar o comércio do mercado negro em línea, não é necessariamente excludente com a posição do e-gold ou ouro digital de que a fungibilidade e a privacidade são atributos importantes.

Esta foi uma narrativa popular antes que as empresas de análise de cadeia tivessem sucesso em anonimizar os usuários do Bitcoin.

A prova de conceito e-cash foi a visão dominante no início, embora a rede de pagamentos p2p e as exibições digitais de ouro também fossem adotadas na época. Mais tarde, o Bitcoin como uma moeda anônima da internet escura ou darknet ganhou fôlego com a chamada Rota da Seda. A idéia nunca morreu, e bitcoin ainda é usado na darknet hoje, embora existam outras alternativas orientadas para a privacidade.


Bitcoin tem raízes em economia, matemática e segurança cibernética.

Existem dois lados para um Bitcoin. O primeiro obstáculo a ser enfrentado é a diferença entre como um Bitcoin é representado e como ele opera.

O Bitcoin não tem forma física. Porque não é palpável nem apoiado por nenhum governo - apesar de seu rotulagem de moeda BTC - embora opere como ouro. É volátil, negociado abertamente e tratado como uma mercadoria. O pró para isso é que o seu valor é independente de qualquer um, totalmente abraçado e aceito.

Com dinheiro, a confiança não é um problema. Você troca dinheiro por um produto e a transação é irreversível. O problema das transações digitais está em sua impermanência.

Os gastos digitais usam arquivos que podem ser copiados ou falsificados. Alguém poderia pagar por um produto, receber o referido produto e reverter a transação antes que ela seja concluída para que o produto e o dinheiro sejam disponibilizados. Alguém também pode alegar ter e prometer pagar dinheiro que não é seu ou não está lá.

Todas as situações acima são variações do que é chamado de problema do gasto duplo, um problema em que uma pessoa poderia gastar uma moeda que é destinada a ser finita duas vezes, ou mais, em transações duplicadas.

O nível mais alto de abstração de um bitcoin é o bloco. Um bloco de bitcoin é como uma página de um livro de contável que deve ser considerado no contexto do livro inteiro.

Para este fim, sua conta deve ser avaliada considerando todas as páginas pertinentes em todo o livro de registros. Esse livro abrangente é o blockchain.

O bloqueio de um bitcoin é para uma página, o que o blockchain é para o razão do contador. Quando um leitor varre as páginas de um livro da direita para a esquerda, vê todas as transações do mais recente para o menos recente. Da mesma forma, se examinarmos o blockchain do bloco mais recente para o menos recente, poderemos ver todas as transações de bitcoin seguindo os blocos anteriores. Cada novo bloco se conecta ao seu bloco anterior, criando uma cadeia de blocos. Para resumir, se o livro contábil de um contador representa todas as transações de uma entidade, isso significa que o blockchain representa todas as transações de todos os bitcoins.

Embora ele seja distribuído e aberto, uma vez autenticado e aceito pelo blockchain, um bloco nunca pode ser alterado. Se um bloco nunca pode ser alterado, o blockchain em si não pode ser alterado. É desse modo que o blockchain guarda com segurança o histórico registrado de todas as transações de bitcoin. A única parte do blockchain que pode ser modificada é o final da cadeia: onde o próximo bloco é aceito. A aceitação de um novo bloco é chamada de mineraçã; a espinha dorsal da industria porque examina, julga e recompensa o mineirador pelo processo de aprovação.

Sem uma autoridade central para regular as transações, o Bitcoin escolheu confiar na autoridade universal da matemática que verifica os cálculos de computadores de trabalho dos chamados mineiros.

A prova de trabalho é um problema de matemática irritante que ocupa uma grande quantidade de poder computacional para resolver. É um teste de força bruta sem atalhos, que qualquer um, com tempo suficiente, pode resolver. O blockchain usa um protocolo de prova de trabalho para autenticar novos blocos.

E se entidades coniventes colocassem suas mãos em um supercomputador com o propósito expresso de corromper o blockchain? É aqui que entra a economia.

O setor bancário é uma indústria peculiar. É o único setor que é pago nos mesmos bens que gerencia, no caso, dinheiro. Bitcoin emula essa prática. Usando uma prova de trabalho para validar as transações, os mineradores competem uns com os outros para chegar a uma solução antes de qualquer outra pessoa. O primeiro mineiro a resolver a atual prova de trabalho é recompensado com a mesma moeda que autentica: bitcoin.

Com o incentivo da própria moeda que os mineradores autenticam, os mineiros formam uma rede distribuída em concorrência entre si para resolver a próxima prova de trabalho. Se um supercomputador é nada mais do que uma rede distribuída de computadores, um mineiro dos mineiros com auto-interesse coletivo é um Supercomputador com o propósito expresso de autenticar transações bitcoin.

Estima-se que seria necessário uma corrupção de 30 a 50% da população de mineiros para ter uma chance significativa de autenticar um bloco corrupto. A corrupção de blocos é uma ameaça real, no entanto, à medida que a popularidade de Bitcoin e da mineração cresce, mais e mais improvável isso se torna. Esta é uma das razões pelas quais o Bitcoin fica mais forte quanto mais as pessoas o usam.

Com os mineiros suportando o peso do trabalho de respaldo, a moeda cresce mais segura à medida que mais mineradores competem uns contra os outros. Quanto mais mineiros competirem, mais moeda é alocada.

Quanto mais moeda é alocada, maior o número de transações. Quanto maior o número de transações, mais mineiros são necessários para autenticar as transações e mais segura a moeda se torna. É retro-alimentação auto-sustentável.

O Bitcoin tem muitas características únicas em comparação com os médios de pago tradicionais, como são pagamentos internacionais com muito baixas taxas de transação, transações irreversíveis para comerciantes e segurança através de criptografia.

Bitcoins só são criados como recompensa por prova de trabalho envolvendo uma operação com hashes ou ponteiros criptográficos. Supõe que a moeda criptográfica existe para incentivar sua mineração, processo pelo qual são evitadas duplas despesas ou fraude do sistema, possível porque um token consiste em um arquivo digital que não pode ser duplicado ou falsificado.

A rede Bitcoin usa um modelo de armazenamento sem processar fórmulas. Os usuários oferecem seu poder de computação para verificar, registrar e guardar os pagamentos em um livro público - accounting book - distribuído em blocos de fontes abertas, banco de dados conhecido como a cadeia de blocos.

Os algoritmos são uma seqüência de instruções automatizadas através de linguagens de programação. Seja o que for, no mundo digital todo o tempo se interage com algoritmos, sendo a programação a técnica de converter o que se quer fazer em uma sequência de instruções que um computador pode processar, utilizando linguagens lógicas com variáveis, funções e ciclos.

Crypto-moedas são geradas a partir de algoritmos que gerenciam transações. A mineração é a resolução em troca de uma recompensa na própria criptografia de problemas matemáticos através de software especial para emitir uma certa quantidade de bitcoin ou similar.

O bitcoin já extraído está em circulação e pode ser trocado por bens e serviços. Deflacionário por desenho, só haverá 21 milhões de bitcoin mináveis, com até 10 a la 8 frações por cada um - ou seja 100.000 millões de satoshis por bitcoin - o que significa que ao longo do tempo as pessoas terão a capacidade de usar satoshis ou frações de bitcoin para comprar coisas.

As frações finais do bitcoin serão redimidas por mineração no ano de 2140.

A menor unidade divisível de um bitcoin é chamada satoshi, nome do conceito inicial, o que significa que ao longo do tempo as pessoas terão a capacidade instalada de usar pequenas frações de bitcoin para comprar coisas e serviços. 

Uma rede de múltiplos nós interconectados na internet do valor, onde mineiros cobram pequenas taxas de transação, necessárias para permitir que as operações sejam incluídas rapidamente na cadeia de blocos validados.

Sendo a mineração das diferentes crypto moedas o trabalho matemático instalado em uma cadeia de blocos, registro histórico continuamente atualizado que cada moeda carrega como fungível e único.

Cada bloco da cadeia contém informações relativas às transações de um período agrupadas em uma estrutura criptográfica de ponteiros hash chamada árvore de merkle, o endereço criptográfico do bloco anterior com seu hash e um número arbitrário exclusivo ou nonce.

As crypto-moedas são divisíveis em unidades de escala menor, ao contrário das moedas fiat o fiduciárias.

O preço do bitcoin é determinado pela sua oferta e demanda. Há apenas um número limitado de bitcoin em circulação e novos bitcoin são criados a uma taxa previsivelmente diminuída. A demanda deve acompanhar esse nível de inflação para manter o preço estável.

Ao contrário dos sistemas de banca centralizada de pagamento fiat, o Bitcoin é totalmente aberto, anônimo, livre e descentralizado. Na informática, o anonimato é igual a um pseudônimo desbloqueável, porque as diferentes interações do mesmo usuário com o sistema não devem ser vinculadas uma ao outra.

Agora uma moeda pode representar qualquer coisa. Bitcoin contem metadados autenticados, propriedades anti-falsificação herdadas, com seu valor subjacente também mantido, significando que depende da confiança no emissor de novos metadados.

As transações com bitcoin são irreversíveis e podem ser verificadas independentemente em qualquer momento.

Os pagamentos bitcoin são feitos instantânea e diretamente, sem um intermediário.

Todo o sistema é protegido por uma combinação de criptografia de curva elíptica ECDSA (Eliptic Curve Digital Signature Algorithm) e hashing de algoritmo SHA-256 (Secure Hash Algorithm de 256 bits ou 32 bytes).

O algoritmo SHA-256 é uma fórmula criptográfica unidirecional que determina uma sequência de caracteres exclusiva para o conteúdo que está sendo criptografado ou hash, uma sequência que é sempre a mesma para o mesmo conteúdo - assim como uma impressão digital é um identificador único - que muda de acordo com o conteúdo criptografado.

O protocolo SHA-256 com um tamanho fixo de 256 bits é usado na criação e rastreamento de chaves ou endereços públicos e na mineração Bitcoin.

O hash ou ponteiro representa o conteúdo de um elemento criptografado, fácil de gerar e impossível de reverter - 1 cuatrillón de combinaciones possivéis para um elemento de 10 caracteres - um processo intenso que requer recursos computacionais.

Um blockchain é uma cadeia com dados do conteúdo do bloco, e metadados sobre o próprio bloco, incluindo uma referência ao bloco anterior e um hash dos dados contidos neste bloco.

Em um blockchain, cada bloco faz referência ao hash do bloco anterior, tornando possível validar em qual ordem as transações que ocorreram.

O hash também contém um hash de todos os dados da página. Se alguém tentasse mudar uma só letra mudará o hash. Isso se resume ao fato de que um blockchain é uma seqüência de dados transitivamente hash. Mudar qualquer bit em qualquer lugar no passado mudaria tudo depois disso de maneira caótica e fácil de detectar.

A capacidade de mineração de Bitcoin é medida no número de operações que um dispositivo pode fazer para resolver o hash com base no conteúdo fornecido, de acordo com os tempos por segundo que precisam ser repetidos.

Número hash de base hexadecimal ou base 16. Um dígito hexadecimal pode ter 16 valores diferentes em vez de 10. Números hexadecimais são como números decimais até 9, mas as letras A B C D E F são usadas para valores de 10 a 15, respectivamente.

Um hash permite criar uma impressão digital aleatória, teoricamente única, de um arquivo. Uma colisão entre hashes supõe a possibilidade da existência de dois documentos com a mesma pegada.

Blockchain se auto-prototege graças à sua própria estrutura e arquitetura. É por isso que criptografias e algoritmos criptográficos estão em uma corrida constante para evitar colisões em aplicações de segurança.

Cada bloco é composto por informações sobre transferências de dinheiro; o hash ou número identificador do bloco, único e irrepetível, que também tem uma cadeia ligada ao hash de seu bloco predecessor e de seu bloco sucessor; um número nonce validado, específico e impossível de hackear, com a peculiaridade de que o número hash é gerado de acordo com o conteúdo do bloco, se o conteúdo ou informação do bloco é alterado, ele muda automaticamente o número do hash, invalidando a cadeia.

A árvore Merkle é uma estrutura criptográfica de ponteiros hash que agrupa os blocos de informações gerando um hash para cada par de dados. Então, os hashes gerados são reagrupados em pares, que por sua vez geram um hash que é agrupado com outro hash e assim por diante até onde a estrutura atinge um único bloco que economiza espaço.

A raiz da árvore Merkle gera um ponteiro hash raiz (root hash) que é registrado no endereço do bloco atual (hash de bloco).

A estrutura dos ponteiros hash permite que você verifique qualquer parte da árvore para saber que ela não foi manipulada, porque se alguém alterar qualquer bloco de dados em algum lugar da árvore, isso fará com que o hash ponteiro não coincida com o hash raiz usado como entrada.

Quando adicionamos uma árvore Merkle a uma função hash criptográfica transitiva, obtemos um blockchain. Cada bloco contém um conjunto de transações "merkleizadas" e os blocos são encadeados.

Cada cadeia de blocos tem seu próprio softwear de mineração. Além de vincular cada dispositivo e criar uma cópia da cadeia de blocos em cada um deles, o software de mineração é responsável por usar a capacidade de processamento do dispositivo para criar novos blocos, validar as informações e se corrigir em caso de falhas, usando os nós mais próximos da rede, tornando a informação indelével e garantida.

A segurança e a certificação dos documentos da cadeia de blocos são fornecidas pelos usuários, que trabalham em resolver um problema crypto- gráfico mediante intentos aleatórios e repetidos por segundo.

Se um usuário altera as informações, a rede o reconhecerá, portanto a versão do livro público distribuído será anulada e não terá efeito.

O número nonce de um bloco válido é um campo de 32 bits ou 4 bytes, cujo valor é definido para que o hash do bloco contenha uma cadeia de zeros. O restante dos campos não pode ser alterado sem perder seu significado definido.

Qualquer alteração do nonce no bloco de dados fará com que o hash do bloco seja completamente diferente, sendo difícil de prever qual combinação de bits será traduzida para o hash correto.

Então, muitos nonce diferentes são calculados ou minados resolvendo cada valor até que um hash contendo o número necessário de bits seja zero. Como este cálculo iterativo requer tempo e recursos, a apresentação do bloco com valor nonce correto constitui um teste ou prova de trabalho (PoW).

Juntos, esses mecanismos fornecem suficientemente espaço-chave aleatório que não pode ser atacado ou decifrado através da matemática.

Supõe-se que nenhuma organização exerce controle total da rede. É geralmente aceito que a rede Bitcoin não tem dependência de uma autoridade central nem de um administrador único.

O gerenciamento de transações e a emissão de bitcoins novos são realizados coletivamente por mineração na cadeia de blocos, um livro público de contabilidade.

O próprio protocolo bitcoin não pode ser modificado sem a colaboração de quase todos os usuários para executar o software atualizado porque precisa de consenso distribuido.

Bitcoin consegue um consenso através de uma medida chamada teste de trabalho, PoW em inglês.

Em um sistema de test de trabalho PoW, os participantes competem para calcular um número dito ´nonce´ com a finalidade que o hash de todo o bloco esteja no alcance do alvo. Este intervalo válido é inversamente proporcional ao poder de computo cumulativo de toda a rede Bitcoin, a fim de manter um tempo médio consiste para achar um nonce válido.

Isso é feito pela mineração das moedas mais rentáveis ​​para o um contrato específico, que são então trocadas automaticamente em a moeda escolhida pela estrutura de negociação algorítmica.

Todas as transações bitcoin e bitcoins recém-emitidos são de exibição pública e podem ser vistos em tempo real, de aí o nome de livro público distribuído.

A natureza anônima da Bitcoin distingue-se do dinheiro convencional. Uma conta bancária tem links para o nome real do usuário e outras informações de identificação pessoal.

Pode-se fazer transferência de dinheiro com facilidade e a muito baixo custo, enviar e receber dinheiro a qualquer lugar do mundo em poucos minutos, assim a transação transmitida se confirme e se espalhe para os outros pares dentro da rede.

Para maximizar suas chances, os mineiros mantêm seus nodos funcionando permanentemente, perpetuando assim a longevidade do blockchain e aumentando a segurança e o valor da rede, conforme a lei de Metcalfe e o efeito de Lindy.

A lei de Metcalfe afirma que o efeito de uma rede de telecomunicações é proporcional ao quadrado do número de usuários conectados no sistema (n al quadrado). Originalmente apresentada em termos a descrever as conexões Ethernet e dispositivos de comunicação compatíveis, com a globalização da Internet essa lei foi transferida para usuários de redes.

O efeito Lindy é o conceito de que a expectativa de vida futura de algo não perecível como uma tecnología é proporcional à idade atual, de modo que cada período adicional de sobrevivência implica uma expectativa de vida remanescente mais longa. 

Este processo de mineração serve para eliminar a necessidade de bloquear produtores, introduzindo uma barreira de custo que incentive os mineiros honestos com recompensas em bloco por proteger a rede, aumentando o fornecimento de token de rede ou controle de inflação, e assim desencorajar atacantes que possam maximizar seus investimentos e habilidades com mineração honesta.

Os garimpeiros fazem grandes investimentos em hardware especializado em uma tentativa de aumentar suas chances de ganhar as cobiçadas recompensas do bloco. O hashrate cumulativo produzido atua como um firewall ou parede de fogo econômico que aumenta tanto a dificuldade de produzir o próximo bloco quanto os custos associados à execução de um ataque ao blockchain.

Se a suposição da Prova de Trabalho de que os mineradores maximizam seus lucros protegendo a rede em vez de atacá-la falha, é porque o token de rede é desproporcional se comparado ao número de nós que protegem a cadeia e seu custo-benefício público.

Um ataque de 51% assemelha-se a uma aquisição hostil em que um mineiro tira proveito do modelo de segurança sem permissão, e da regra de escolha forçada que favorece o hashrate acumulado mais alto para ganhar uma posição dominante e assumir o controle da produção e recompensas do bloco, mas também abre as portas para fraudar e duplicar os ataques que podem destruir o valor do token como uma forma de dinheiro infalsificável resistente a censura.


A criptografia é o ramo da matemática que permite criar testes matemáticos que fornecem altos níveis de segurança.

No caso do bitcoin, a criptografia é usada para tornar impossível que alguém gaste recursos da carteira de outro usuário, se duplique ou que a cadeia de blocos possa ser corrompida, que em contraste com o dinheiro fiduciário, usa um sistema de teste de trabalho (Proof of Work / PoW) que simula a mineração de matérias-primas.

As transações Bitcoin são seguras, irreversíveis e não contêm informações sensíveis ou pessoais dos clientes. Isso oferece uma forte proteção contra roubo de identidade em comparação com cheques ou cartões de crédito.

Uma das grandes vantagens do bitcoin é ser uma moeda anônima. A identidade da pessoa que envia ou recebe uma transação é apenas o endereço bitcoin, uma código alfanumérico aleatório de 32 a 34 caracteres.

Um endereço bitcoin é semelhante a um endereço físico ou email. É a única informação que se tem para dar a alguém para receber um pagamento em bitcoin. No entanto, há uma diferença importante, e isso é que cada endereço só deve ser usado para uma transação.

Uma vez que se envia ou recebe bitcoin, essa transação é enviada para a cadeia de blocos a ser verificada e registrada em uma forma que é distribuída por toda a rede bitcoin.

Bitcoin permite pagar com um dispositivo móvel em duas etapas simples: digitalizar e pagar. Não há necessidade de deslizar o cartão, digitar um PIN ou assinar qualquer coisa.

Tudo o que precisa para receber pagamentos com o Bitcoin é exibir o código QR em seu aplicativo de carteira e deixar seu amigo scanear seu celular ou montar os dois telefones (usando a tecnologia NFC).

O passo primeiro para negociar com bitcoin é a carteira de segurança, criptografia simples de obter, que funciona no cotidiano com um dispositivo móvel ou uma carteira apenas para pagamentos e cobros on-line a partir de um computador.

O comerciante pode facilmente processar pagamentos e faturas. Você também pode usar serviços para comerciantes que permitem depositar dinheiro em moeda local ou bitcoin.

A maioria dos pontos de venda usa um tablet ou celular para permitir que seus clientes paguem.

Existem muitas maneiras de armazenamento de bitcoin e muitos tipos diferentes de software wallet.

O armazenamento de bitcoins não envolve o armazenamento de bitcoins reais per se, mas o armazenamento seguro da chave privada para os endereços da carteira.

O bitcoin funciona com base em pares de chaves cifradas público / privado, sendo a chave pública o endereço para receber pagamentos, e a chave privada a usada para assinar a transação e enviar moedas desse endereço.

O armazenamento da chave privada se faz em uma carteira bitcoin, mas existem varias maneiras diferentes de fazê-lo, cada um com distintos níveis de segurança.

Uma chave ou senha privada é um dado secreto que prova o direito de gastar bitcoin de uma carteira cifrada através de uma assinatura criptográfica.

A chave privada é armazenada no computador e / ou no celular; enquanto se usa uma carteira os bitcoin serão salvos em servidores remotos do provedor.

As chaves privadas nunca devem ser compartilhadas.

Quando o programa bitcoin assina uma transação com a chave privada, toda a rede pode ver que a assinatura corresponde aos bitcoins gastos.

No entanto, não há nenhuma maneira para o mundo descobrir a chave privada e roubar as cripto moedas salvas na carteira por assinatura criptográfica, um algoritmo que permite vincular sua propriedade.

Uma assinatura digital é o final primário do blockchain. Um esquema de assinatura digital bem-sucedido funciona mais ou menos da mesma forma que uma assinatura manuscrita com duas propriedades centrais.

O primeiro é a verificabilidade. Se eu assinar uma transação com minha chave privada, outra pessoa deve poder validá-la usando minha chave pública. Da mesma forma, só você pode escrever sua própria assinatura, mas qualquer um pode ver que é sua.

Uma chave privada e uma chave pública juntas formam um par de chaves cifradas. A chave privada é algo que você não compartilha com ninguém, mas usa para assinar transações provando que é seu selo.

A chave pública é o equivalente a um número de conta que você pode dar a todos para que eles possam verificar que é sua assinatura digital. 

A chave pública é um hash da sua chave privada, e seu endereço é um hash da sua chave pública, sob este esquema: Chave privada == hash ==> Chave pública == hash ==> Endereço.

Por causa das propriedades de funções hash criptográficas, isso significa que você pode publicar seu endereço em qualquer lugar para que as pessoas possam enviar-lhe qualquer criptomoeda sem ser capazes de fazer engenharia reversa para descobrir suas chaves privadas.

A segunda propriedade é imperdoabilidade de que sua assinatura está vinculada a um documento específico. Você não quer que alguém seja capaz de recortar sua assinatura em um documento e colá-lo no fundo de outro, como se dissesse que você deve dinheiro a eles.

O Bitcoin usa um esquema de assinatura digital chamado Algoritmo de Assinatura Digital de Curva Elíptica para atingir essas duas propriedades. Outros blockchains e criptomoedas usam diferentes esquemas de assinatura digital, mas todos têm essas mesmas duas propriedades de verificabilidade e imperdoabilidade.


A cadeia de blocos devido à sua natureza descentralizada tem o potencial de revolucionar o comércio e possibilitar com facilidade transações através das fronteiras internacionais.

Permite o envio de transações por uma fração do custo das principais redes de pagamento e não há custos contínuos para ter uma carteira Bitcoin.

Esta é uma vantagem para compradores e comerciantes. Possui o potencial de ajudar a conectar compradores e comerciantes em todo o mundo, e com o uso de serviços de garantia de assinatura e de múltiplas assinaturas reduzir a fraude.

Você também pode manter suas ações razoavelmente privadas dos curiosos devido à natureza do bloqueio, o que significa que os registros podem ser mantidos e facilmente gerenciados pelo seu software de carteira.

Possui o potencial de tornar os fundos de gerenciamento mais fáceis para as empresas, já que o software de carteira pode ser executado ou desenvolvido internamente sem precisar contar com uma rede de pagamento externa para trabalhar com seu sistema, dando mais controle total da plataforma de comércio eletrônico de um comerciante.

Embora a cadeia de blocos ainda seja uma tecnologia emergente de preço volátil, não aceita pela maioria, possui vantagens tanto para os compradores como para os comerciantes, a custo zero sem taxas no comercio, melhora a segurança para compradores e empresas que aceitam cripto moedas através de carteiras de assinatura múltipla e contratos inteligentes.


Existem duas maneiras principais pelas quais um blockchain pode ir de centralizado para descentralizado: a cadeia de blocos privados e a cadeia de blocos públicos. A diferença entre blockchain público e privado está relacionada a quem pode participar da rede.

Uma rede pública blockchain é completamente aberta e qualquer um pode participar. Bitcoin, Ethereum, ou Dash, são exemplos de blockchain públicos.

Uma rede blockchain privada requer um convite. É uma rede autorizada que coloca restrições sobre quem pode participar da rede e em quais transações. Alguns exemplos de blockchain privados são o Everledger, MultiChain, ou Corda do R3.

A diferença em quem é permitido participar é importante porque afeta a forma como a descentralização é alcançada. 

Blockchain públicos são garantidos por criptografia e mineração de criptomoeda. Eles usam uma combinação de incentivos econômicos, teoria dos jogos, criptografia e ciência da computação para concordar com o estado atual do livro público distribuído ou ledger.

Uma blockchain privada ou autorizada é uma cadeia de blocos onde o processo de consenso é controlado por um conjunto pré-selecionado de atores, sejam indivíduos, empresas, ou membros de um consórcio. Por exemplo, você pode ter um grupo de bancos, cada qual com permissão para gravar no ledger e cada um deles deve assinar cada bloco para que o bloco seja válido.

Isso é mais descentralizado do que ter uma única parte encarregada de validar todas as transações, o que tem algumas vantagens.

A principal razão pela qual as empresas podem escolher usar um blockchain privado é aumentar a transparência e a confiança de seus processos com seus parceiros na rede. Como o blockchain funciona como um esquema inviolável, cada empresa participante pode confiar que ninguém adulterou dados pré-existentes.

Em comparação com suas contrapartes públicas, os blockchain privados também são mais escalonáveis.

Há problemas de escalabilidade com blockchain públicos como Bitcoin. Estes são o resultado de tentar escalar o blockchain enquanto o mantém descentralizado e seguro em um ambiente aberto onde qualquer um pode participar.

Como os blockchain privados ocorrem em um ambiente fechado, eles podem impedir ataques controlando quem entra na rede para ajudar a reduzir fraudes e melhorar a seguridade. Essa informação é inserida no blockchain, onde é inviolável.

Isso torna possível para um consumidor final saber exatamente o que cada empresa faz em toda a cadeia de suprimentos, e também permite conhecer que as seguradoras estão pagando reivindicações legítimas.

Ajudam a garantir que todas as partes interessadas tenham uma visão consistente do status e do progresso de um projeto, com cada parte interessada mantendo sua própria cópia do livro razão, para que cada componente possa ter certeza de que nenhuma das outras empresas está mudando isso.

Os blockchain privados reivindicam proteger os dados controlando quem entra na rede, mas eles ainda são ao mesmo tempo vulneráveis.

Blockchain públicos não têm esse problema porque não há rede para invadir. O consenso não é impulsionado pela capacidade de entrar na rede; é movido por quem gasta a energia do mundo real de uma maneira que é impossível falsificar e que torna o blockchain muito mais caro para hackear.

Os blockchain, públicos e privados, sofrem com a necessidade de os usuários protegerem suas chaves privadas. E os usuários constantemente não conseguem fazê-lo da forma correta, e é por isso que os indivíduos são hackeados mesmo que o sistema não o faça.

Assim, o argumento contra blockchain privados é que eles confiam na segurança da rede para impedir que maus atores entrem na rede. Detratores argumentam que isso substitui a melhor e mais inovadora parte da segurança blockchain, a prova de trabalho, com a pior parte, usuários protegendo suas chaves privadas.

Uma das maiores vantagens das blockchain públicas está relacionada ao valor de redes abertas. A comparação mais fácil é redes fechadas versus a internet nos anos da década de 1990.

Inicialmente, havia várias empresas que operavam redes fechadas / autorizadas. Eles ligavam computadores a um servidor central, com notícias e outras informações, mas não à Internet mais ampla.

A idéia eraatraente para grandes empresas porque parecia mais segura. As empresas não seriam expostas a toda a Internet, mas poderiam manter o controle sobre o que poderia ser colocado na rede.

A internet venceu em sistemas fechados porque existem muitos mais desenvolvedores construindo na internet do que em qualquer intranet única. Isso significa que 99% dos melhores desenvolvedores do mundo sempre trabalham para outra pessoa.

É melhor criar um ecossistema que faça com que as pessoas mais inteligentes trabalhem para seus objetivos. Se você confiar apenas em seus próprios funcionários, nunca resolverá as necessidades de todos os seus clientes.

A outra vantagem principal das blockchain públicas, pelo menos em teoria, é que elas são mais descentralizadas e, portanto, mais resistentes à censura.

O sistema centralizado é menos resistente a censura do que alguém pode imaginar. Se decidir que ele não quer deixar você usar a rede, ele pode fazer isso.

Os blockchain privados são mais resistentes à censura. Se você tem um blockchain privado, onde existem menos validadores, então você precisa de menos deles para conspirar e mentir sobre algo do que apenas uma única pessoa.

Se você tem um blockchain público com muitos validadores, é muito mais difícil para eles conspirar. Você teria que subornar, coagir ou convencer 51% de atores a conspirar, o que é muito mais desafiador do que convencer uma única pessoa ou um pequeno grupo de indivíduos.

A natureza dos blockchain públicos permite que qualquer pessoa participe da segurança da rede, o que resultou no maior supercomputador do mundo.

Porque eles são públicos, muitas empresas diferentes estão construindo produtos em cima deles, o que os torna mais valiosos.

Em 2017, houve uma onda de outras redes de criptografia lançadas no blockchain Ethereum. Essas redes não precisaram pedir permissão da equipe Ethereum para usar sua cadeia de blocos. Eles apenas tinham que construir sua rede e ligá-la ao protocolo Ethereum aberto.

Isso aumentou o valor da rede Ethereum em mais de cem veces. Esse tipo de onda de inovação teria sido impossível se a Ethereum fosse uma blockchain privada que exigisse obter permissão individual para cada projeto.

Como a Ethereum é uma blockchain pública, eles podem investir com segurança na construção de seu desenvolvimento sabendo que não havia risco de a Ethereum ser capaz de desligá-los no futuro. Isso não é o mesmo que construir em cima do blockchain privado, onde é mais fácil ser censurado.

Hoje a tarefa mais importante de um blockchain é atingir um nivel de escalabilidade que permita a adoção da tecnologia de cadeia de blocos em larga escala.

Carteiras Bitcoin.

Um portfólio de moedas de criptografia é um programa de software que liga chaves privadas e públicas e interage com várias cadeias de blocos para permitir que os usuários enviem e recebam moedas digitais e controlem seu equilíbrio. Transmite as transações para a rede Bitcoin e se conecta com mineradores, a cadeia de blocos e as trocas.

A chave pública é a única informação necessária para baixar e receber criptografia e sempre começa com os números 1 e 3.

A chave privada é um número secreto de 256 bits que permite que gastar bitcoin. Cada carteira contém uma ou mais chaves privadas que são armazenadas no arquivo da carteira para que elas permaneçam seguras.


Carteiras de softwareA primeira carteira foi a bitcoin QT wallet, que também é a carteira de referência dos desenvolvedores do núcleo bitcoin ou bitcoin core.

Bitcoin QT wallet ou bitcoin core é o cliente de referência. Esta carteira é a carteira original, criada pelos desenvolvedores do núcleo Bitcoin.

Foi projetada para uso em computadores de mesa e laptop e armazena as chaves privadas em um arquivo.

Tem muitos recursos, e além de ser uma carteira atua como um nó na rede bitcoin. Como resultado, deve armazenar uma cópia completa da cadeia de blocos.

Pode enviar e receber moedas, salvar listas de envios e receber endereços que são conhecidos, e também oferece criptografia de carteira. Isso codifica as chaves privadas com uma senha que deve ser usada quando se deseja enviar moedas.

Perda da senha significa que as moedas são perdidas para sempre, a menos que você tenha o sempre recomendado backup o copia segura das chaves privadas.

Outra maneira popular de armazenar bitcoin é em uma carteira da Web. Uma carteira hospedada por um provedor externo que também armazena as chaves privadas e possui capacidade na web para enviar moedas, com uma seção de carteiras de câmbio. É uma carteira de media segurança para ter pequenas quantidades de satoshi de uso diário.

O roubo de seus detalhes del registro login através de hacking pode ser negado ao ativar a autenticação 2FA ou de dois factores, onde um SMS ou código numérico de autenticação de correio, é enviado para celulares e outros, exigindo o comprometimento de dois dispositivos.

No entanto, uma regra de ouro é assumir que a gente não é titular de suas próprias moedas dado que não controla exclusivamente as chaves privadas. O fornecedor da carteira poderia roubar suas moedas, ou ser comprometido.


Uma carteira online de assinatura múltipla ou Coinbase Multi-Seg é um tipo de carteira online que usa mais de uma chave privada.

O cofre da assinatura múltipla da crypto-moeda funciona armazenando três teclas, o que protege se o fornecedor da carteira for pirateado ou se torna insolvente.

Essas carteiras funcionam com três chaves. Uma delas é realizada pela própria moeda. Uma segunda é criada no dispositivo do usuário, criptografado com uma frase secreta que não é enviada para a moeda, e em seguida transmitida e armazenada em seu sistema, esta é a chave 'compartilhada'. A terceira chave ou a chave 'usuário' é de preferência individual e vá junto com a chave compartilhada criptografada impressa pelo usuário como um backup.

Esta carteira funciona em um sistema 2-de-3, para retirar moedas que não se registram na conta on-line da moeda e ela envia a chave criptografada para simplesmente inserir a senha para retirá-la.

Se a plataforma se tornar insolvente, e possível recuperar suas moedas pela senha e a terceira chave do usuário. Se esqueceu sua senha, pode fornecer uma moeda com a chave do usuário e recuperar as moedas desse jeito.

Os fundos podem ser transferidos e movidos sem moeda num terminal seguro. Permite a conveniência e altos níveis de segurança, desde que a carteira esteja configurada em uma máquina não comprometida.

No presente é a carteira online mais segura e está em uma classe própria em termos de segurança para uma carteira online. É também segura para o armazenamento de moedas no longo prazo.

O usuário deve armazenar a chave do usuário e / ou lembrar sua senha. Perder a chave do usuário e esquecer sua frase-senha significaria que os fundos estão perdidos. Porem, várias cópias devem ser armazenadas com segurança.

A maioria de sites especializados são imunes ao bloqueio da moeda pelo governo e aos hackers, pois, mesmo que a chave da moeda seja roubada, é inútil por si só.

A chave é mantida por você e a moeda é criptografada e nunca desencriptografiada em seus servidores.


As carteiras de hardware são um tipo de carteira que é uma peça de hardware móvil para o computador. Alguns parecem uma memória USB, outros se parecem com um pequeno dispositivo, mas todos usam porta USB.

As carteiras de hardware têm a vantagem de segurança de que a assinatura de transações ocorre apenas dentro do dispositivo, o que significa que o malware não pode capturar as chaves privadas da memória do sistema.

Ledger é uma marca de carteira de hardware que trabalha através de sua própria aplicação, de um plugin do navegador Chrome ou plugin online.

Funciona enviando a transação para ser assinada dentro do dispositivo que é protegido com um PIN que após 3 tentativas incorretas limpa a carteira.

O dispositivo é como um cartão inteligente, que também envia um desafio com uma indicação visual do endereço para o qual você está tentando enviar moedas, em um dispositivo externo, como um telefone celular ou usa um cartão de segurança, para verificar se o malware não alterou o endereço para o qual você está enviando moedas.

Mostra uma semente de recuperação que pode ser usada para reconstruir as chaves privadas das carteiras se a carteira for perdida ou danificada. Isso deve ser impresso, nunca salvo em qualquer terminal conectado à internet e armazenada com segurança.

Ledger é uma solução de alta segurança e é muitas vezes mais seguro do que as carteiras online genéricas e pode ser carregado e usado em um conjunto de chaves.

O aplicativo de carteira não precisa de privilégios de administrador para instalar-se e pode ser usado com segurança em uma máquina não confiável. Para maior segurança se tem múltiplas carteiras Ledger em uma configuração de assinatura múltipla.

Ledger está trabalhando em recursos de desconhecimento plausíveis pelo uso de uma segunda senha que leva o usuário a uma carteira falsa.

A Trezor Wallet é semelhante a Ledger, mas é um pouco maior e se conecta à porta USB por meio de um cabo. Funciona de forma semelhante, mas tem uma tela e dois botões no dispositivo.

A tela mostra o endereço da carteira ao qual se está enviando moedas e você pressiona os botões para confirmar ou cancelar as moedas.

Esta é uma medida de segurança para garantir que você está enviando as moedas para o endereço pretendido. É uma opção de alta segurança e também pode usar uma senha mais longa.

A segurança do Trezor é possivelmente a mais alta de qualquer solução de carteira baseada em hardware e usa o mesmo método de semente de recuperação que o Ledger.

As carteiras de hardware são a forma mais segura para armazenar moedas, ainda mais seguras do que as carteiras de papel, invulneráveis ​​ao roubo das chaves privadas cruas quando esta é inserida.

As mesmas chaves privadas podem ser carregadas em várias carteiras de hardware através da semente de recuperação.

As soluções de carteira baseadas em hardware são praticamente impermeáveis ​​a todos os métodos de ataque, especialmente quando usada em uma assinatura múltipla, as carteiras de hardware são impermeáveis ​​a quase todos os tipos de ataques.

As soluções de carteira baseadas em hardware são o melhor método de longo prazo para armazenar moedas.

Para evitar o risco de danos por desastre, a semente deve ser salva em vários locais. No Trezor existe uma opção para criptografar esta semente com uma senha.

Desde que as precauções sejam seguidas, seu risco de furto ou perda é quase zero, menos ao ser forçado a pistola para enviar moedas. Isso pode ser evitado dividindo suas participações em múltiplas carteiras ou por uso de assinatura múltipla.


Carteiras móveis são carteiras de bitcoin armazenadas em telefone celular, tablet, ou outro dispositivo portátil.

Podem ser usados ​​para fazer pequenas compras, se o comerciante aceita bitcoin.

Tipicamente digitalizam o endereço de recepção como um código QR, protegido com um PIN, e podem ser mais protegidos pela criptografia da memória do dispositivo.

São bons para quantidades diárias de moedas, mas os backups do arquivo da carteira devem ser feitos.

Devido ao seu PIN fraco que é freqüentemente usado, eles devem ser armazenados fora de línea. São razoavelmente seguros, mas o dispositivo precisa ter sempre um backup.

Devido ao PIN fraco usado frequentemente, criptografar o dispositivo com uma senha e garantir que a carteira esteja no dispositivo ou o cartão SD também seja criptografado, para ter menor chance de infecção do que uma carteira de desktop do Microsoft Windows.

Uma carteira móvel é boa para ter uma pequena quantidade de moedas. Têm suas vantagens para enviar e receber pequenas quantidades, e com seu scanner de código QR, podem facilmente servir ​​para fazer pagos pequenos de forma razoavelmente segura.


Uma carteira de papel é uma maneira segura de armazenar bitcoins fora de linea. Envolve imprimir os pares de chaves públicas / privadas em texto e como um código QR para fácil digitalização.

Uma carteira de papel não é diferente de uma carteira bitcoin, além do fato de que não está armazenada em um computador, e como sugere o homônimo, é uma carteira de bitcoin que se armazena em um pedaço de papel.

As carteiras de papel nunca devem ser geradas em línea, mas impressas em uma máquina segura usando software local. O endereço de recepção pode ser armazenado com segurança no computador para se completar a qualquer momento, mas a chave privada só deve ser armazenada em papel.

A carteira de papel pode ser impressa várias vezes e deve ser armazenada em vários locais confiáveis.

Uma carteira de papel tem uma margem de segurança muito alta e pode ser protegida contra roubo, armazenando as chaves privadas criptografadas com uma frase secreta no papel.

Essas carteiras, no entanto, podem estar em risco de roubo se um computador inseguro é usado para importar a chave privada quando se deseja usar os fundos, e aqui deve tomar-se cuidado.

A carteira de papel é segura e versátil contra a maioria das catástrofes digitais. A carteira sempre deve ser gerada em uma máquina fora de línea ou segura.

Para armazenamento a longo prazo e acesso infreqüente, as carteiras de papel são ideais, ou também uma carteira de hardware bem armazenada e armazenando em sua semente.

As carteiras de papel estão entre as formas de carteira mais seguras, junto com carteiras de hardware. Mas as carteiras de hardware são mais seguras depois da configuração inicial, devido à sua capacidade de serem usadas em uma máquina comprometida com a segurança.

As carteiras de papel podem ser configuradas em uma assinatura múltipla que traria sua segurança na par com carteiras de hardware.

Para o armazenamento de crypto-moedas a longo prazo, eles são uma ótima opção na par com as carteiras de hardware, mas para grandes somas devem ser criptografadas com uma frase de senha fácil de lembrar ou disfarçada mais fácil de recuperar.

As carteiras de papel são a maneira mais confiável de armazenar moedas se forem copiadas múltiplas, embora as carteiras de hardware possam ser recuperadas com a semente.

De novo, guarde as carteiras de papel com segurança. Apoiar arquivos de carteira e / ou sementes.

Troque seus fundos em blocos em vez de todos de uma só vez.

Lembre-se, se você não está na posse exclusiva das chaves privadas, você não possui suas moedas, mesmo que sejam suas próprias moedas. Esta é uma boa regra de ouro.


Um dos desafios enfrentados pelos usuários do bitcoin em todo o mundo é o armazenamento.

Como exatamente se deveria manter os bitcoin seguros se planejo manter uma quantidade significativa em uma carteira?

As carteiras de Bitcoin tornaram-se um alvo valioso para hackers, já que o roubo geralmente não é rastreável e é fácil de se beneficiar. A resposta de segurança para a maioria será uma carteira de papel.

O bitcoin foi construído para que os usuários só precisem manter um par de chaves público-privado para acessar a sua carteira.

Seu par de chaves pode até ser gerado fora de línea. Para garantir que os hackers nunca obtenham ativos de bitcoin, se sugere manter os bitcoin excedentes em uma carteira de papel de armazenamento frio, ou manter quantidades de bitcoin em um meio mais seguro do que apenas estar no computador.

Isto irá reduzir muito e até anular mesmo o potencial de roubo, e limita substancialmente os vetores de ataque que um hacker precisaria roubar uma carteira de bitcoin.

Por causa desse benefício adicional de segurança, uma carteira de papel normalmente é usada para armazenar bitcoins em frio.

A opção fácil para criar uma carteira de papel são sites web especializados que oferecem uma página direta para fazer uma carteira de papel gerada aleatoriamente, consistindo em seu endereço de bitcoin público e chave privada. Siga as instruções e obterá uma carteira de papel pronta para usar.

Não esqueça adicionar os bitcoins que deseja manter em a carteira de papel antes de colocá-lo fora.

Há uma série de outros sites com ofertas gratuitas semelhantes, mas certifique-se que o software foi examinado, e idealmente seja de código aberto.

Outra opção para gerar carteiras de papel de assinatura múltipla de alta segurança é Bitcoin Armory.

A segurança para o uso da Bitcoin em grandes transações entre vendedores e compradores privados também aumentou muito com os serviços de custódia de carteira de assinatura múltipla.


O Bitcoin é intrinsecamente seguro, mas as chaves privadas da sua carteira são armazenadas no computador em um típico software de carteira.

Isso torna as moedas vulneráveis ​​ao malware, mesmo quando a carteira é criptografada, a senha inserida da chave privada é carregada na memória, deixando-a vulnerável ao malware.

Um único hackeo se todos os fundos forem mantidos em uma única carteira pode destruir todos os ganhos de bitcoin em segundos.

As seguintes precauções devem ser tomadas quando extrair e / ou manipular bitcoin ou hardware bitcoin:
1. Nunca armazene seus bitcoins a longo praço em uma carteira em línea. Se o fornecedor irromper ou é pirateado, as moedas podem ser perdidas. Se não tem a posse exclusiva das chaves privadas, as moedas estão em risco de perda ou roubo. Nem armazenar grandes quantidades em uma troca ao mesmo tempo. Uma exceção a esta regra é o cofre de assinatura de base de moeda devido a como as chaves são compartilhadas entre você e a moeda.
2. Configure o login de registro em duas etapas em qualquer carteira ou serviço de câmbio em línea, se você deve usá-los, especialmente no caso de trocas.
3. Trocar pequenas quantidades de bitcoin de cada vez.
4. Investir em uma carteira de hardware para armazenamento de longo prazo ou até mesmo uso geral. Isso mantém chaves privadas no dispositivo, mesmo quando a assinatura de transações a torna invulnerável para a maioria dos malwares e tem uma semente de recuperação se o hardware se perder ou danificar. Esta semente de recuperação nunca deve ser armazenada em um computador, mas manuscrita e mantida segura.
5. Mantenha backups de qualquer carteira de chaves privadas / sementes de recuperação, a perda de dados por falha no computador pode causar a perda de moedas.
6. Certifique-se de que o seu hardware possui uma garantia.
7. Certifique-se de que os cabos e fontes de alimentação de boa qualidade são utilizados, e que o equipamento de proteção contra surtos está instalado.


A Mineração é um processo direto que explica como surgem os bitcoin.

mineração foi definida como a extração de minerais valiosos ou outros materiais geológicos da Terra. Pessoas fazendo esse trabalho difícil e significativo para obter os recursos necessários.

Agora, esta definição pode ser ampliada. A mineração ainda é um processo de extração de recursos, mas a palavra recursos se expandiu em seu significado, porque já existe uma demanda entre as pessoas e há um aumento de custos sobre uma quantidade limitada.

O requisito para obter bitcoin é compactar algoritmos matemáticos com um sistema no qual usuários replicaram conjuntos de dados importantes.

A 3 de janeiro de 2009 minou-se o primeiro bloco chamado Gênesis. E neste momento o bitcoin pode ser chamado de ouro digital:
1.  O seu valor é limitado a 21 milhões. Essa é a razão pela qual o bitcoin tem uma tendência para uma deflação, assim como o ouro faz
2.  Seus algoritmos permitem dividir o bitcoin em satoshis de até 8 decimais
3.  Como obtemos ouro? Mineiros cavam milhares de metros no chão, e gastam enormes quantidades de recursos para obter a suficiente quantidade de ouro.

Uma das maneiras pelas quais você pode obter bitcoin é minera-lo. Mesmo que o processo se torne mais difícil, você pode minar outras criptografias e obter o bitcoin em troca.

A dificuldade de Bitcoin é como os bitcoins são difíceis de minar. O protocolo bitcoin é projetado para em média produzir um novo bloco a cada 10 minutos.

Isto é o que os mineiros de Bitcoin realmente fazem, obtém bitcoins. Eles fazem um trabalho sem o qual a tecnologia blockchain simplesmente não existiria.

Usando hardware, utilizam um tipo de detentores de segurança que verificam todas as transações que ocorrem no sistema recebem bitcoin como recompensa.

A mineração é um mercado especializado e competitivo em que os lucros são distribuídos de acordo com o número de cálculos que são feitos.

Toda vez que uma transação é feita entre dois endereços bitcoin, ela é transmitida por toda a rede. Todos os nós têm uma seqüência de blocos das transações que são alcançadas e cada nó tem um conjunto de transações pendentes por resolver.

A proteção contra transações inválidas é criptográfica, mas aplicada por consenso. A proteção contra gastos duplos é puramente por consenso. Nunca se tem 100% de certeza de que uma transação tem o consenso, a garantia é probabilística.

Os computadores de mineração Bitoin que executam software gráfico especializado recebem essas transações e as adicionam coletivamente ao bloco de transações atual, ao mesmo tempo em que coletam uma taxa de mineração assumida por cada transação.

Este é o primeiro incentivo para mineiros bitcoin. O segundo incentivo vem da mineração dos blocos. Para cada bloco de transações geradas, os mineiros competem para resolver um problema matemático complexo. O vencedor recebe bitcoin recém-cunhados. Cada quatro anos o número de bitcoins gerados dessa forma é reduzida pela metade.

O número total de bitcoins é 21 milhões e nunca excederá esse número.

Além disso, a dificuldade de resolver cada bloco aumenta ao longo do tempo, o que coloca uma restrição significativa no fornecimento de bitcoins. Neste ponto, a inflação é limitada, enquanto os mineiros continuamente são incentivados a executar suas máquinas na rede.

Os principais problemas da mineração de Bitcoin são o consumo de energia e a taxa de hash, onde ambos desempenham um papel crucial na rentabilidade.

Conseguir equilibrar os dois, de modo que seus custos de energia não excedam os bitcoins que se ganha através da mineração, fará uma operação bem sucedida.

O blockchain ou cadeia de blocos é um registro público das transações bitcoin em ordem cronológica. O bloco é compartilhado entre todos os usuários do bitcoin para verificar a estabilidade das transações e evitar gastos duplos.

Um bloco é um registro em cadeia de blocos que contém confirmações de transações pendentes.

Aproximadamente a cada 10 minutos, em média, um novo bloco que inclui novas transações é anexado à cadeia de blocos através da mineração.

O hardware de mineração evoluiu do uso do PCs de fator de pequena forma com placas gráficas modelo à projetadas para taxas de hash e a eficiência energética.

Nos inícios da mineração em 2009, os mineiros usaram a unidade de processamento central (CPU), mas logo isso não foi rápido o suficiente e atolou os recursos do sistema de computo, e passaram a usar a Unidade Gráfica de Processamento (GPU) em placas gráficas, porque conseguiram dados de hash 50 a 100 vezes mais rápidos e consumiam muito menos energia por unidade de trabalho.

Durante 2011, uma nova indústria surgiu com equipamentos personalizados que impulsionaram padrões de desempenho ainda maiores. A primeira onda desses dispositivos especiais de mineração foram baseados em processadores de Matriz de Portas Programáveis em Campo (FPGA) conectados no USB.

Os mineiros da FPGA usaram muito menos energia do que as CPU e as GPU possibilitando pela primeira vez a criação de chacras de mineração concentradas.

O atual hardware de mineração Bitcoin usa ASIC, o Circuito Integrado Específico de Aplicação (Aplication Specific Integrated Circuit).

As máquinas ASIC minam a velocidades mais eficientes de Terahashes por segundo (TH / S ou trinco de hashes por segundo) sem precedentes, enquanto consomem muito menos energia do que as plataformas de mineração GPU e FPGA.

Embora o processo real de mineração seja algo gerenciado pelo próprio hardware, é necessário um software para conectar os mineiros à cadeia de blocos e ao pool de mineração.

O software oferece trabalho aos mineiros e recebe o trabalho realizado para transmitir essa informação à cadeia de blocos e ao grupo de mineração.

O software pode ser executado em quase todos os sistemas operacionais. Não só transmite a entrada e a saída dos mineiros para a cadeia de blocos, mas também monitora e exibe estatísticas gerais como temperatura, hashrate, velocidade do ventilador e a velocidade média de mineração.

Existem maneiras de lucrar com a mineração Bitcoin. As formas de ganhar geralmente envolvem o investimento inicial de hardware de mineração.

Para lucrar com a mineração de bitcoin se precisa considerar o custo antecipado de hardware; o preço pago pelo hardware; o poder de mineração em TH / S do hardware; a dificuldade de mineração; o consumo de energia do hardware e seu custo de eletricidade; o fator clima; o preço do bitcoin, que a recompensa por bloqueio se divide a cada quatro anos, e que a última redução pela metade ocorreu em 2016.

Os ganhos de mineração bruta são calculados pelo poder de mineração de seu hardware de mineração de bitcoin, medido em hashes por segundo e a dificuldade atual e recompensa de bloco da rede bitcoin.

A mineração de bitcoin não é um esquema rápido e rico. É um investimento de risco moderado e com muitos fatores a ser considerados.

Para o mineiro novato de bitcoin, durante anos foi rentável simplesmente executar desde casa um pequeno conjunto de máquinas de mineração de bitcoin, mas esses dias chegaram ao fim para a maior parte.

Com a difucultade de computo segundo o previsto, os hashes para mineração aumentaram e as recompensas para a mineração disminuíram, o que a tornou muito menos rentável, e na maioria dos casos não lucrativo para executar hardware de mineração desde casa.

Os custos de eletricidade baixos melhoram os lucros sustentados para executar com sucesso operações de mineração Bitcoin em grande escala.

O hardware para mineração de bitcoin é de um punhado de marcas.
BITMAN faz o popular AntMiner, que é um minerador ASIC muito eficiente. As máquinas AntMiner topo da linha podem produzir mais de 12 terahashes por segundo.

Avalon também é outro minerador popular, em um preço mais alto em média. Mas como a rentabilidade diminuiu, é menos lucrativo devido às crescentes dificuldades de mineração.

Como uma maneira segura de obter um retorno consistente, uma estratégia de mineração cresceu em popularidade para como a maioria dos bitcoins são minados agora: as piscinas ou pools de mineração Bitcoin. É juntar recursos que assegurem que no pool todos ganharão distribuídos de acordo ao esforço individual.

A taxa de hash é a unidade de medida do poder de processamento da rede Bitcoin.

A rede Bitcoin deve fazer operações matemáticas intensivas por motivos de segurança. Quando a rede atinge uma taxa hash de 10 TeraHash por segundo, significa que pode fazer 10 trilhões de cálculos por segundo.

Algumas piscinas ou pools de mineração populares são BTCC, Slush Pool, AntPool, F2Pool, cuja taxa de hash combinada é 77% da taxa de hash total da rede.

A participação do usuário no poder de mineração do pool é medida pela taxa de hash de pontuação, que reflete quanto trabalho o usuário fez nas últimas horas.

A taxa de hash de pontuação como média móvel exponencial da taxa de hash de todos os dispositivos de mineração de usuários conectados ao pool.

Por definição matemática, a média que a taxa de hash diminui ou aumenta, torna o cálculo de recompensas mais estável e justo.

Então, as piscinas ou pools de mineração são grupos de mineiros que compartem a mesma plataforma de mineração para dividir custos e benefícios. Tipicamente servem para que seus membros resolvam blocos e compartam recompensas no mesmo endereço coinbase de cobro na proporção do esforço feito por cada um deles.

Outra rota para mineração de bitcoin está na Nuvem. Esses serviços permitem que os usuários comprem contratos a um preço por taxa gigahash. Em essência, o que esses serviços oferecem é o aluguel de mineiros bitcoin para usuários sem usuários que nunca tenham que tocar em qualquer hardware.

A maioria dos usuários pagam a taxa de mineração padrão, no entanto, aumentar a taxa do mineiro irá garantir que a transação mais cara seja priorizada sobre as outras transações.

A confirmação resolve que uma transação foi processada pela rede e é improvável que ela seja revertida. As transações são confirmadas quando estão incluídas em um bloco e para cada bloco que se segue.

Mesmo que uma confirmação pode ser considerada segura para pequenas transações, em transações maiores se esperam 6 confirmações ou mais. Cada confirmação, exponencialmente, reduz o risco de a transação ser revertida.

Os custos da energia são uma grande variável por país e fornecedor de eletricidade. As máquinas de mineração consomem grandes quantidades de energia.

Isto exige pesquisa e em alguns casos fazer compras no melhor negócio de energia para maximizar os lucros, embora em alguns países seja quase impossível lucrar pelos custos da eletricidade.

Observe que isso não se aplica à mineração em Nuvem ou quando se compra o bitcoin online para investir.

Ganhar lucro com a mineração de bitcoin é possível, mas é necessário um alto investimento inicial e existe um risco moderado.

Não é um esquema de investimento rápido e rico e isso deve ser levado em consideração quando começa a extração de lucro que tem potencial de recompensa com compromisso.


A mineração Bitcoin é o processo de obtenção de bitcoins verificando a validade de todas as transações. O bloco que contém todas as transações que ocorreram em um tempo aproximado de dez minutos deve ser fechado e anexado a outros. A única maneira de fechar o bloco é verificar todas as transações nele e é isso que os mineiros realmente fazem.

Os incentivos econômicos são tais que os mineradores correm para incluir o próximo bloco na cadeia, geralmente produzindo blocos concorrentes devido à latência da rede que atrasa a transmissão de mensagens ou à presença de nós defeituosos. Quando isso acontece, a rede blockchain deve decidir em qual bloco incluir na cadeia usando um mecanismo conhecido como protocolo de consenso.

O problema é que o algoritmo de uma cadeia de blocos foi projetado de uma forma muito inteligente e elegante: ele gera a equação, alguns das quais são constituídas de certos dígitos que ocorreram no bloco anterior e códigos de hash das transações atuais.

De qualquer maneira significa que esses números são conhecidos antecipadamente, e também que há um número gerado aleatoriamente adivinhando que irá a resolver-se a equação e se a equação for resolvida.

A questão é por que precisa de um dígito aleatório?

Porque esse número aleatório torna o processo de mineração imprevisível. Assim como em uma mineração de ouro real: você pode usar o melhor equipamento para encontrá-lo mais rápido ou em maiores quantidades, mas há outros critérios que não pode adivinhar: sorte, fortuna, ou pode chamá-lo como desejar.

Esta solução simples torna o bitcoin único, ajuda a manter o equilíbrio de bitcoins no sistema e àqueles que os possuem.

Em outras palavras: quanto mais esforço, mais rápido obterá o resultado. E deve ser exatamente em dez minutos, então, o que fazer? Aumentar o número de pessoas que buscam.

Essa idéia de ajustar a dificuldade também é apresentada no mecanismo de bloqueio.

Em duas transações conflitantes, ambas são emitidas quase simultaneamente a partir de nós diferentes, o que determina quais delas eventualmente acabarão na cadeia de blocos.

A transação que chega primeiro na maioria dos nós ganha, e a transação que foi emitida pela primeira vez ganha. O mineiro que encontra o próximo bloco provavelmente resolverá o empate, incluindo uma das transações no bloco.

Cada nó tem sua própria versão da cadeia de blocos que contém a transação emitida primeiro.

Aproximadamente, a cada duas semanas, o sistema analisa todas as equações que deu e o tempo durante o qual toda a comunidade de mineiros resolveu tornar a equação mais difícil ou menos dependendo dos resultados, de modo que o tempo aproximado de todas as soluções seja dez minutos, porque é o momento mais aceitável durante o qual as transações em cadeia de blocos devem ser concluídas.

Embora a dificuldade da equação às vezes possa influenciar em ambas as direções: mais simples ou mais complicadas, como podemos ver pelas estatísticas, principalmente pretende ser cada vez mais difícil.

Por exemplo, quando o bitcoin acabara de aparecer, se podia usar um computador pessoal para resolver a equação.

Agora, os mineiros investem enormes montantes de dinheiro para comprar um hardware específico, que na verdade ocupa muito mais espaço, para resolver a equação o mais rápido possível.

Além disso, encontrar um lugar onde a eletricidade é menos dispendiosa, porque também tem custos longe de ser baratos.

Outra coisa importante a considerar é que a recompensa por resolver o problema não é uma quantidade incondicional ou absoluta de bitcoins.

Sempre diminui ao dobro do seu monto, e a cada quatro anos.

Desta forma, no início, a recompensa foi de 50 BTC, quatro anos depois diminuiu até 25 BTC e agora 12,5 BTC.

Porém, uma vez que a taxa de câmbio bitcoín está sempre crescendo, 12.5 BTC agora é uma soma maior do que o 50 BTC no início.

Na época, isso foi um avanço quando um bitcoin foi comparado a um dólar e agora um bitcoin custa US $ 14.000.

Então, pode ver-se a magnitude de seu crescimento.

Isso nos leva à idéia de que o sistema está realmente criando uma competição saudável entre os mineiros, tornando o processo de mineração Bitcoin mais valioso dentro do tempo, uma vez que a demanda de bitcoins está aumentando, e precisamente esta é a resposta à pergunta de por qué bitcoin tem a imunidade à inflação, mas a intenção de uma deflação.


Mineração na Nuvem ou Hash na Nuvem ou Cloud Mining são serviços que afirmam hospedar hardware de mineração bitcoin.

Alguém compra uma certa quantidade de energia de mineração da empresa, que em seguida paga um determinado montante com base nos bitcoins minados.

A idéia é que o investidor não precisa hospedar hardware de mineração em si, mas ainda pode lucrar com a mineração Bitcoin.
Os serviços de mineração na Nuvem podem ser uma questão difícil de legitimar, pois há alguns que hospedam hardware real e tem também esquemas Ponzi.

Existem algumas empresas onde se compra certa quantidade de poder de hashing, que pode ser executado por meses ou por toda a vida. O retorno obtido baseia-se em muitas variáveis, como a dificuldade de mineração, as flutuações dos preços do bitcoin, ou optar por retirar o dinheiro.

Os métodos utilizados em um esquema de tipo Ponzi envolvem o pagamento de investidores anteriores com o dinheiro de novos investidores e se apresentam como executando hardware de mineração.

O problema é a falta de transparência. Você não pode selecionar seu próprio grupo de mineração para apontar seu poder de hashing comprado e é possível se a dificuldade de mineração aumentar além de um ponto em que ele não cobre a taxa diária do provedor da Nuvem o que anula seu poder de hash, mesmo uma com a compra de energia hash de por vida.

Além disso, se a empresa se tornasse insolvente, você tem muito pouco a mostrar, além dos ganhos retirados.

Há uma segunda alternativa baseada na Nuvem que envolve o aluguel do poder de hashing e não deve ser confundida com a mineração de nuvens de investimentos a longo prazo acima.

É possível alugar equipamentos de mineração para enviar tentativas de resolver um bloco para qualquer grupo de sua escolha. Estes geralmente são mais transparentes no que você obtém por seu dinheiro.

Funcionam ao ter usuários colocando o poder de mineração em seu pool. O fornecedor do aluguel então tira um pequeno preço e o proprietário do hardware recebe comissão do aluguel pago pelo inquilino. Quando não está sendo alugado, o proprietário do hardware está ganhando do pool.

Os serviços de aluguel também são usados ​​para mineração em solo, onde se aponta o poder de hashing para um pool ou nó solo e mina para seu próprio endereço.

Isto geralmente é feito ao alugar grandes quantidades de poder de hashing por um curto período de tempo, por exemplo, esperando resolver um bloco e marcar a recompensa do bloco inteiro.

A probabilidade de encontrar blocos ganhos durante a mudança de mineração vai com a dificuldade do processo.

Esta é uma maneira eficiente de mineração bitcoin que funciona de forma barata, ao comprar bitcoin on-line em pequena quantidade e alugar energia para receber pagos pelo pool, entre outras coisas.

Ao executar-se qualquer software mineiro oficial de código aberto, o computador ou hardware está resolvendo diferentes equações matemáticas e enviando os resultados que são usados ​​para criar novas criptografias ou para permitir transações entre eles.

Poder de Hashing é o poder que o computador ou hardware usa para executar e resolver diferentes algoritmos de hash. Esses algoritmos são usados ​​para gerar novas criptografias e permitir transações entre elas. Esse processo também é chamado de mineração.

A mineração está vendendo poder minero para os compradores, pessoas que não possuem equipamentos de mineração ou simplesmente querem a mina como um investimento.

Os compradores pagam em bitcoin para alugar o poder de hashing. Esses bitcoins são pagos aos vendedores quando encaminham o poder de hash.

Todo o hardware de mineração está tentando encontrar um valor de hash aleatório que atenda a dificuldade necessária, quando alguém acha que o bloco pode ser construído.

À medida que a cadeia se torna mais longa, a dificuldade de modificar a informação anterior aumenta exponencialmente, tendo uma sequência de blocos que não podem ser alterados. Para modificar uma transação, todas as cópias distribuídas em milhões de computadores em rede teriam que ser alteradas ao mesmo tempo.

Para manter o tempo de bloqueio médio em 10 minutos, a rede bitcoin levanta a dificuldade necessária do hash resolvido de modo que ele mantenha o tempo médio que um hash é encontrado em 10 minutos.

Se mais mineradores se juntarem à rede, maior será a dificuldade, se os mineiros deixarem a rede, a dificuldade irá cair.

Quando o conhecimento da Bitcoín aumentou entre o público em geral, a dificuldade acrescentada aumenta ainda mais o desenvolvimento do ASICs (Application Specific Integrated Circuits), que pode executar a simples função de hashing de mineração muito mais rápido que o hardware de propósito geral.

A dificuldade aumentará até um ponto em que a mineração com hardware de uso geral não pode mais produzir um retorno.

Em teoria, como uma única solução pode resolver um bloco, há uma chance de que alguém possa minar bitcoins em hardware de propósito geral, mas a probabilidade é muitas vezes pior do que ganhar qualquer loteria na Terra.

À medida que novos ASICS mais eficientes são desenvolvidos, a dificuldade vem aumentando. A cada duas semanas, em média, o nível de dificuldade é recalculado.

E quando a dificuldade aumenta, os ganhos de hardware mais antigos começam a cair até um ponto em que já não é viável executá-los.

O poder de mineração na rede mais do que duplicou em nove meses, o que significa que o lucro terá diminuído em mais da metade nesse período.

As soluções de mineração em nuvem são, no máximo, um investimento de alto risco, mesmo com uma empresa genuína.

Comprar hardware é melhor. Uma compra da última geração logo antes do lançamento de uma nova peça de hardware pode reduzir a probabilidade de retornar os investimentos para zero.

Os serviços de Cloud Mining ou Mineração na Nuvem geralmente não são transparentes, embora o aluguel possa ser mais transparente do que os investimentos de longo prazo em mineração da nuvem.

É de risco menor comprar hardware próprio, com segurança, sabendo que você possui um ativo tangível que pode revender.

A crescente dificuldade de mineração significa que, para obter lucros, se está melhor comprando bitcoins online ou negociando bitcoins no momento certo.

Embora nem toda a mineração em nuvem seja uma farsa, a falta de transparência e a grande chance de não retornar o investimento a tornam um risco.

A mineração por si só é um investimento de alto risco, seja por meio da mineração em nuvem ou ao possuir hardware próprio, especialmente se grandes somas de dinheiro estiverem envolvidas.

Nunca a mineração deve ser vista como um esquema de investimento rápido.



Blockchain: a revolução industrial de internet

O mercado Bitcoin é um exemplo de mercado perfeito, onde o preço é determinado unicamente pela oferta e demanda de bitcoins.

Como bitcoin é uma moeda descentralizada, não há intervenção no mercado para impactar o seu valor. Em outras palavras, um aumento no preço do bitcoin sugere que mais pessoas estão dispostas a comprar bitcoins do que vender bitcoins, e vice-versa.

Como qualquer outra moeda ou unidade de conta, bitcoin só têm valor porque as pessoas pensam que tem.

Todo o dinheiro fiat atualmente em circulação possui três características principais: é tangível, regulamentado por um sistema de banca central e relativamente fácil de falsificar.

No outro lado espectro está a Bitcoin. Uma crypto-moeda que não necessita da ação de bancos nem de instituições governamentais para se manter em circulação.

Algumas moedas são apoiadas por ouro ou outros metais preciosos; outras por nada além de ar, embora tenham valor porque as pessoas pensam que tem valor e as usam como uma unidade de troca.

As criptografias foram projetadas como uma unidade de troca e como lugar para armazenar ativos sem depender de uma banca central.

Os metais preciosos ganham seu valor percebido devido à sua utilidade e oferta limitada, e o preço geralmente está vinculado na oferta e a demanda.

Fornecimento / Demanda é um fator econômico simples que afeta o preço de muitas coisas.

Em alguns países, Bitcoin e outras criptografias são classificadas como um ativo, em outros países como moeda.

Bitcoin tem um máximo de 21 milhões de unidades inteiras, divisíveis 100 milhões de vezes, e 21 milhões de unidades inteiras não se espalhariam muito sem um preço significativo.

O fornecimento também é comprado a uma taxa constante e é imutável devido a regras matemáticas. Isto cria uma oferta limitada, e assim as pessoas vão pagar mais para obter as moedas que acham ter valor.

Em termos exatos, as transações bitcoin são praticamente gratuitas, o que as torna uma alternativa muito mais barata quando comparada aos cartões de débito ou de crédito.

Em segundo lugar, bitcoins são aceitos globalmente, o que os torna a plataforma perfeita para remessas e transações internacionais.

Em terceiro lugar, os pagamentos com bitcoin são quase instantâneos, pelo que o destinatário não precisa esperar por um acordo.

Estas são apenas algumas vantagens de Bitcoin,  entre mencionar privacidade, micropagos e autonomia.

A energia para o processo de fixação de cadeias de blocos é importante. No caso da prova de trabalho (PoW) dos blockchains, a forma mais popular, o uso de eletricidade é intenso.

No Bitcoin, o bloqueio protetor usa tanta energia que tem um fator crucial no preço de mineração, como quantidade de energia em média para minar 1 bitcoin. Isso aumenta a dificuldade.

Quanto mais segura for a cadeia de blocos e quanto maior a dificuldade de mineração, maior será o valor e o preço percebidos, e mais difícil o passo das moedas pela mineração.

Isto pode afetar o preço por vínculos com o aumento do consumo de energia, no caso de correntes de verificação de trabalho com retardos de entrega.

Um fator chave no preço de qualquer crypto-moeda é sua utilidade. Se não pode usá-la para algo, seja investimento ou pagamentos, então não terá nenhum ou pouco valor percebido.

No caso do Bitcoin, é utilizável para pagamentos em uma escala razoavelmente alta e cada vez maior, o que significa utilidade.

Sua alta dificuldade técnica e o uso importante de energia dão um preço razoavelmente alto, e como tal, pode ser usado ​​para investimento.

Mas mudanças na utilidade causam volatilidade dos preços.

No caso do Ethereum, como foi projetado uma plataforma de contrato inteligente, isso lhe da uma utilidade prática, que aumentou o seu preço em relação a muitas outras criptografias alternativas.

A utilidade prática de Ethereum é ser uma plataforma de contratos inteligentes que permitem sua execução distribuída e segura.

Bitcoin é visto como moeda de reserva do mundo da criptografia.

Aumentos e caídas no preço do bitcoin tem efeito direto no preço de outras criptografias.

Litecoin, em particular, a moeda de prata para a moeda de ouro Bitcoin, tem reações de preços proporcionais ao aumento e queda no preço de bitcoin, mas sem a dificuldade de aumentar que o Bitcoin tem em relação ao poder de ser usado para proteger ambas nas cadeias de bloqueio.

Como Bitcoin foi a primeira corrente criptográfica principal e é o mais suportado, o preço do bitcoin geralmente vai influenciar as outras criptografias.

As criptografias às vezes podem ser desenvolvidas como uma farsa. Isso pode ser associado a uma moeda que promete a tecnologia mais recente e melhor, mas também é pré-minada pelos desenvolvedores antes da liberação.

Isto garante que eles mantenham um bom pedaço de suprimento de moeda antes da liberação de moedas, então, quando é dado o valor, eles despejam suas participações, o que bloqueia o valor para outros investidores, mas pode potencialmente dar aos golpistas uma grande soma de dinheiro em fraude que é difícil de processar, e em muitas jurisdições, impossível, no momento.

Devido à natureza pública de uma cadeia de blocos, as pré-minas e as minas no instante, podem ser facilmente detectadas, e quando descobertas causam o decréscimo do valor da moeda, o que pode acontecer antes ou depois de os desenvolvedores fazerem o despejo fraudulento.

Há uma nova criptografia lançada todos os dias, e muitos rasgos da fonte Bitcoin.

Devido ao número de criptografias saturando o mercado, muitas delas sem utilidade prática, as criptografias alternativas podem ter difícil ganhar qualquer tipo de terreno em um mercado já diluído.

A diluição do mercado significa que muitas crypto-moedas alternativas terão dificuldade em obter um ponto de apoio. Mas algumas têm um seguimento de culto com valor potencial.

Com muitas criptografias sendo um clone do Bitcoin menos os números de ajuste, a inovação é outra coisa que pode afetar o preço.

Às vezes, isso resulta em uma moeda ganhando terreno, às vezes isso sozinho não é suficiente, mas é um fator de preço.

Litecoin foi projetado para ser usado em pagamentos menores com um tempo de confirmação de transação mais rápido, resultado da maior capacidade de rede devido a mais blocos sendo produzidos.

Ethereum é uma inovação que não foi projetada como uma moeda por si só, mas é usado como tal.

Ethereum mantém seus próprios algoritmos de hash de PoW e regras do sistema, para na rede Ether executar o código do computador, em um contrato inteligente, de forma que seja verificável o que foi executado.

Cada dia sobem os fatores no valor do Bitcoin: o preço do dólar, a inovação, a energia invertida para garantir a cadeia de blocos, a percepção pública, a pressão dos governos, os fraudes, as questões legais e a resposta da mídia, podem fazer variar seu preço.

As pessoas tem lhe dado ao Bitcoin valor como uma reserva de riqueza. E sua revolucionaria capacidade de processamento de pagos como divisa internacional é seu melhor argumento.

O mesmo que se aplica a qualquer mercadoria, como alimentos, água, abrigo, tecnologia ou outra: esforço colocado na criação e / ou obtenção de demanda agregada.

Com crypto-moedas grandes pagamentos podem ser feitos com facilidade sem limites no tamanho do pagamento.

Algumas redes tradicionais de processamento de pagamento cobram taxas maiores por transações maiores, ou de outra forma têm limites aos tamanhos das transações, o que pode causar problemas ao vender itens de alto preço e outras grandes transações.


O sistema bancário tradicional funciona com dinheiro regular, fiat ou fiduciário, onde o dólar dos Estados Unidos é a moeda de reserva mundial que pode ser impressa a vontade conforme e quando necessário, e assim seu fornecimento é ilimitado.

A grande banca trabalha mantendo unidades de conta nos bancos para transferir moeda entre eles.

O sistema bancário está aberto à manipulação; taxas de câmbio e adulteração por banqueiros e governantes de alto perfil; e devido à facilidade com que o dinheiro tradicional é impresso perde todo seu valor.

A banca central opera com os bancos no sistema de reversa fracionaria, onde eles só têm uma oferta de dinheiro a qualquer momento para certa porcentagem de clientes ao mesmo tempo, e se todos os clientes tentassem retirar seu dinheiro ao mesmo tempo, o banco falharia.

As redes do sistema bancário tradicional foram trabalhadas há décadas e estão estabelecidas em todo o mundo, permitindo confiabilidade razoável para transações digitais, embora os tempos reais possam ser longos.

Bancos em diferentes países geralmente funcionam de forma diferente, usam outras moedas, e vinculá-los pode ser tedioso e caro.

O bitcoin realmente foi criado devido à manipulação do sistema bancário e à necessidade de uma entidade comum no controle da gente. O criador deixou uma pista dessa intenção embutida no primeiro bloco de transações Bitcoin.

Bitcoin foi criado para resolver o problema de que a banca pode ser manipulada por governos e banqueiros, e também para a privacidade em suas transações, embora todas as transações sejam públicas, desde que os endereços de envio e recebimento sejam mantidos privados e novos.

Bitcoin está ganhando força lentamente devido à sua capacidade de ser inviolável e livre de manipulação 

A rede Bitcoin possui nós múltiplos distribuídos em todo o mundo, executados por grandes pools de mineração.

Esses nós estão tentando resolver problemas matemáticos, e ao mesmo tempo mantendo uma memória de todas as transações recentes que ocorreram após o problema anterior.

Resolvido isto, as transações memorizadas anteriores são escritas em um bloco gravado na cadeia de blocos, que é um livro contábil distribuído, um tipo de banco de dados em cadeia.

O sistema é projetado onde todos os nós completos possuem uma cópia completa de toda a cadeia de blocos, com 7 anos no momento, e a maioria dos nós deve concordar que uma transação foi válida, ou na realidade, 51% dos nós devem fazer isso. Então, se pelo menos 51% do poder de computação das redes for honesto e bem distribuído, a razão é inviolável mesmo por pessoas com riqueza e poder.

Os bancos estão tentando incorporar sua própria cadeia de blocos privada, mas como o poder de computo será gerido pelos próprios bancos, isso não garante totalmente que é inviolável.

Uma moeda como bitcoin é mantida por indivíduos e corporações dispostos a executar nós e validar transações.

O bloco é o registro inviolável do que as transações aconteceram, e o fato de que elas aconteceram resolve o problema de uma moeda digital descentralizada.

Quanto mais potência de computação em nós separados é adicionada à rede, mais segura é a rede.

Qualquer cambio nas regras do protocolo Bitcoin deve ser acordado em pelo menos 51% dos nós, embora na realidade esse valor seja maior devido a variações no tempo de resolução de blocos dos outros 49% da rede.

Atualmente, 100% dos nós da rede bitcoin concordam que 21 milhões de bitcoins são o valor fixo.

Ao contrário do dinheiro fiat que pode ser impresso pela banca central ao nome do governo, o fornecimento de bitcoins é limitado a 21 milhões de unidades inteiras, que podem ser divididas em satoshi 100 milhões de vezes, se necessário.

Os bitcoin são introduzidos a uma taxa fixa a cada 10 minutos em média.

Quando um mineiro resolve o problema matemático, hoje ele recebe 12,5 bitcoin.

Isso originalmente começou em 50, reduzindo-se para metade em 2012; e em 2016 ficou reduzido também à metade, e assim a cada 4 anos, em média.

Em 2020, espera-se que os bitcoins por bloco minado sejam de 6,25. Uma vez que eles são todos cunhados, as taxas de transação darão aos mineiros um incentivo para registrar transações na cadeia de blocos.

A idéia de que, uma vez que todos os bitcoin são cunhados, as pessoas que doam o poder de computação ainda recebem incentivo para fazê-lo, mantendo a oferta tampada e bem distribuída.

O remetente de uma transação inclui uma taxa de transação ou taxa de mineradora com suas transações, normalmente 0.0001 de bitcoin ou similar, durante tempos de carga de rede elevados, isso pode aumentar ligeiramente.

As pequenas taxas aumentam quando milhares de transações estão ocorrendo. Esta taxa vai para o mineiro que gera o próximo bloco.

As taxas são o incentivo para o quando todos os bitcoins foram cunhados.

As regras de consenso bitcoin significam que nenhuma pessoa pode manipular taxas de transação para seu próprio beneficio.

Bitcoin é usado simplesmente gerando o software de carteira Bitcoin, o endereço público de carteiras e a chave privada que as acompanha.

Esta chave privada deve ser protegida, a maioria das carteiras geralmente usa uma senha e permite o backup da chave privada.

Isto é o que permite que bitcoin sejam gastos desde um endereço e é a única prova de propriedade que as regras de rede reconhecem.

Você pode ter uma carteira em seu próprio computador, telefone, tablet ou até mesmo uma carteira baseada na web ou carteiras em USB.

Você pode comprar bitcoins de trocas e indivíduos ou mesmo ser pago neles por serviços.

Bitcoin coexiste com o sistema bancário tradicional, de modo que normalmente o dinheiro tradicional é usado para comprá-los, ou se pode ganhar bitcoin diretamente, e até mesmo usá-los para armazenar poupança e riqueza, embora devido à alta volatilidade, isso pode ser um risco e deveria ser sempre investigado.

Há um crescente número de comerciantes que aceitan bitcoin. Existem cartões de débito bitcoin para servir de link entre Bitcoin e o sistema bancário tradicional, permitindo seu uso mesmo com comerciantes que não aceitam bitcoin diretamente.

O software de carteira permite o envio de moedas para outra pessoa em segundos, embora possa levar em média 10 minutos para a confirmação da transação, ou seja, ser gravada em conjuntos de memória de nó.

O Bitcoin tem um problema fundamental que surgiu à medida que a demanda pela moeda aumentou, o chamado problema de tamanho de bloco.

Cada bloco está atualmente limitado a 1 MB de tamanho, limitando a quantidade de transações que podem ser gravadas.

Diferentes desenvolvedores estão lutando para concordar sobre o que aumentar no tamanho do bloco, embora muitas soluções tenham sido propostas para resolver esse problema, como a rede lightning.

Em momentos de alta demanda, pode ser típico aumentar sua taxa de transação para saltar a fila ao espaço de bloco limitado.

A solução de capacidade de rede está sendo trabalhada pelos desenvolvedores do núcleo Bitcoin e pela comunidade, embora a solução da rede lightning pareça mais provável de ser implementada, além de aumentar o tamanho do bloco.

Os bancos de dados Blockchain são caros de proteger, o consumo de energia de toda a rede bitcoin é muito alto, embora esteja bem distribuído.

O sistema de banca centralizada e o Bitcoin estão coexistindo um ao lado do outro.

Ambos parecem estar aqui para permanecer no futuro previsível, embora o aumento do bitcoin esteja fazendo com que a banca repense certas áreas, como as taxas de transação entre pessoas, empresas e países, entre outras.

O dinheiro é uma espécie de acordo entre uma comunidade de pessoas suficientemente grande, que ajuda a trocar seus bens.

O sistema bancário está aberto à manipulação, enquanto Bitcoin é praticamente inviolável e não permite o controle de nenhum indivíduo ou corporação.

As chances de adoção de bitcoin ou outras moedas descentralizadas irão aumentar devido à sua facilidade de uso e à prova de inviolabilidade.

Tanto o Bitcoin quanto o sistema bancário tradicional coexistirão no futuro previsível, embora o bitcoin seja potencialmente o início da queda do sistema bancário manipulado, e permita um limbo seguro para armazenar ativos e escapar dos  curiosos, já que é mais fácil esconder uma chave privada do que esconder fundos em contas bancárias.

No banco de dados tradicional, todas as ações podem ser auditadas e apanhadas pelos governos.

A banca pode cobrar taxas elevadas para as transações entre países, enquanto Bitcoin pode fazê-lo por muito pouco custo, em qualquer parte do mundo.

O uso de uma moeda descentralizada como o bitcoin é responsável, devido à falta de rejeições e à privacidade que oferece sobre a banca.

O Bitcoin e outras crypto-moedas derivadas dele e a cadeia de blocos tem outros usos, tais como os contratos inteligentes da plataforma Ethereum.


Ethereum é muito mais que uma crypto-moeda que utiliza uma cadeia de blocos com a finalidade de garantir a execução segura de um contrato, usando o token Ether como sua moeda.

60 milhões de ethereum (ETH) foram criados em 2014; 12 milhões de ethereum foram criados para o fundo de desenvolvimento; 5 ethereum são criados por bloco a cada 15-17 segundos; com um limite anual de 18 milhões de ethereum.

Ethereum é uma nova programação criptográfica e conceito de linguagem de moeda que pode ser usado como uma plataforma de transação e verificação, como uma plataforma de comunicação e como uma empresa inteligente, tudo completamente distribuído.

O Ethereum é um sistema corporativo auto-regulado de softwear gratuito que roda em algoritmos baseados em códigos completamente robóticos.

Ethereum é uma plataforma de contrato inteligente com tecnologia blockchain que tem sua própria linguagem de programação Turing, o que permite a execução de código de computador para contratos inteligentes em todos os seus nós, registrando os resultados de execução na cadeia de blocos.

A idéia é que um contrato digital possa ser executado e inviolável devido às regras de consenso em torno da cadeia de blocos, e desde que pelo menos 51% dos nós sejam honestos, a manipulação do resultado não pode acontecer.

Contratos inteligentes que permitem selar uma série de condições e termos, em uma lógica de negócios, que são executadas automaticamente quando certas condições ficam atendidas, adicionadas a uma assinatura digital e a uma rede com um banco de dados, o que garante a confiabilidade dessa transação como neutra para ambas as partes, o que permite enviar e receber fundos de uma maneira funcionalmente similar a Bitcoin usando pares de chaves públicas / privadas.

Isso tem muitos usos potenciais, desde contratos inteligentes básicos, até a área de poder votar digitalmente nas eleições políticas, devido à natureza inviolável da cadeia de blocos quando garantida em alto grau por nós separados.

Um grande desenvolvimento é a bifurcação do Ethereum em duas moedas, Ethereum (ETH) y Etherem Classic (ETC).

Ethereum começou como um único token seguindo as mesmas regras de consenso. Havia um contrato inteligente chamado DAO, que recebeu grandes investimentos, e 12% de todo o ETHEREUM no momento estava vinculado a este contrato.

Um hacker descobriu uma falha neste código de contratos que permitia a drenagem do éter com uma execução de perdida de vários milhões de dólares.

Embora a rede não havia funcionado incorretamente, a maioria do poder de hashing foi executado por muitos poucos nós, com poucas pessoas nos pools de mineração, e uma grande proporção de mineiros em um único nó.

Se crescesse com muitos nós separados com grande poder de hash, seria muito mais difícil de manipular. Mais de 90% do poder de mineração era de grandes pools, de modo que apenas eram alguns nós, mesmo sendo maior o número dos mineiros.

A modificação da cadeia de blocos de forma a alterar um registro do que aconteceu prejudicou a credibilidade do Ethereum.

Ethereum Classic mantém a versão original e as regras de consenso. Esta era a cadeia de blocos não modificada, que permitia ao hacker retirar fundos, mas manteve o sistema imutável, já que não tinha falhas de funcionamento.

O Ethereum Classic bifurcado modificou as regras de bloco e consenso depois que do erro no contrato DAO resultou em fundos roubados, devido à modificação do registro imutável que aconteceu e à tentativa de reverter, quando o problema estava no contrato inteligente mal codificado e não no Ethereum.

Isto seguiu a regra da cadeia de blocos ser imutável, não importa o que aconteça, pois não houve falha na cadeia de blocos ou no protocolo Ethereum.

Ethereum funciona como pretendido para contratos inteligentes e potencialmente com uma margem de segurança maior devido a um melhor poder de hashing, mas a comunidade é provável que potencialmente tente no futuro bifurcar-lo novamente se uma situação critica surgir.

O termo Token ERC20, decorrente do recente boom dos start-ups financiados por uma Oferta Inicial de Cripto-moeda, ICO.

ERC significa o Pedido de Comentário do Ethereum, um protocolo oficial para propor melhorias à rede Ethereum, sendo '20' o número de identificação exclusivo da proposta. Além de criar uma ICO, os token Ethereum podem ser criados para se adicionar a um intercâmbio ou para uso privado.

O ERC20, portanto, define um conjunto de regras que devem ser cumpridas para que um token seja aceito e chamado 'Token ERC20'. A interface Token padrão ERC20 descreve as funções e etapas que um token Ethereum deve implementar e cumprir.

As regras padrão aplicam-se a todos os tokens ERC20 para interagir uns com os outros na rede Ethereum. Esses tokens são ativos da cadeia de blocos que têm valor e podem ser enviados e recebidos como qualquer outra crypto-moeda.

A diferença entre esses tokens e uma moeda separada é que os tokens ERC20 dependem da rede Ethereum, hospedados pelos endereços Ethereum e enviados pelas transações Ethereum. Além disso, todos os tokens ERC20 executam transações na mesma rede usada pela carteira Ethereum.

As Plataformas Ethereum de Contratos Inteligentes tem o objetivo de ser um computador mundial descentralizado, oferecendo capacidade de contrato inteligente mais extensível.

Ao contrário do Bitcoin, onde todas as transações custam aproximadamente o mesmo para os mineradores executarem, os contratos da Ethereum têm níveis altamente diferentes de complexidade em termos de largura de banda, armazenamento e computação.

Ethereum tem contas e contratos com saldos. Por essa razão optou por um modelo no qual cada transação é precificada dependendo do custo por quantidade consumida pelas mineradoras para a execução dos contratos.

Os mineiros são capazes de ajustar dinamicamente o limite que o sistema suporta por um determinado fator em cada bloco, o que é análogo ao tamanho do bloco no Bitcoin.

A rede é atualmente composta por mineiros, nós completos e nós leves. Os nós leves contam com nós completos para segurança e podem validar o estado relevante para o usuário baixando cabeçalhos de bloco da cadeia de Prova de Trabalho (PoW) mais longa, e os nós completos são compostos principalmente por nós go-ethereum. Estes oferecem sincronização completa ou rápida e modos de poda.

Um subconjunto de nós completos são nós totalmente arquivados, que validam todos os blocos do minerador, executam todos os contratos e armazenam todo o estado do blockchain. O Ethereum oferece muitos padrões simbólicos: ERC-20 para tokens de plataforma e ERC-721 para tokens não fungíveis.

O atual roteiro para Ethereum inclui três mudanças fundamentais de projeto: fragmentação, um novo protocolo de consenso chamado Casper e substituição da Máquina Virtual Ethereum (EVM) pelo eWASM.

O eWASM permitirá aos desenvolvedores escrever contratos inteligentes usando linguagens de programação de alto nível que compilarão até o Wasm (Web Assembly) em vez de usar o atual formato Solidity do Ethereum.

A mudança mais significativa que vem para a Ethereum nos próximos dois anos é a Casper mais Sharding, que é a proposta da Ethereum de principalmente passar da Prova de Trabalho para a Prova de Estaca, como parte da Casper, e romper o estado da rede em um monte de partições chamadas de shards.

Cada fragmento teria histórico independente de estado e transação, e todos os validadores da rede não seriam responsáveis pelo tratamento de todas as transações. em vez disso, os notários dentro de cada fragmento seriam responsáveis por seu próprio fragmento. Transações entre pedaços e fragmentos de fragmentos são possíveis. Existe uma proposta para integrar a verificação e auxiliar na escalabilidade.

Os desenvolvedores de Casper aprenderam a armar a subjetividade fraca e visam simular a segurança do PoW através de ameaças de penalidades econômicas para os validadores, cortando atores desonestos removendo os depósitos, em vez de queimar energia. Eles acham que é possível projetar um protocolo Prova de Estaca (PoS) que seja mais seguro, descentralizado, ofereça tempos de bloqueio mais rápidos, finalização e seja mais flexível do que o PoW, que é limitado pela física.

A Ethereum tem sido altamente criticada por introduzir especulação tóxica no ecossistema de criptomoedas através das Ofertas Inicíais de Criptomoedas e promover maior centralização da validação ao longo do tempo. Os desenvolvedores da Ethereum não acreditam em nós de validação completa e barata para usuários comuns.


A plataforma Ethereum funciona através da chamada Máquina Virtual Ethereum (EVM). Um grande computador virtual no qual todas as operações do Ethereum são executadas.

Na verdade, uma infinidade de computadores conectados uns aos outros através da Internet do Valor.

Esta rede nodal virtual EVM tem a função de executar o programa de contratos inteligentes e é distribuída em cada computador que forma a rede de nós da Ethereum.

Nós inteligentes que executam contratos sobre o EVM, o que exige o esforço de computadores em nó - o consumo de electricidade e de um certo tempo para efectuar esse trabalho de despesa do tipo computacional ethereum.

Para compensar os nós mineiros por este factor de despesa computacional, tempo e consumo de energia, o Gas foi criado em ethereum - o custo de ter que executar uma operação ou um conjunto de operações na rede nodal, pagando pelo que custa à Ethereum processar as transações. O Gas é a unidade para medir esse trabalho.

Operações de trabalho podem ser para fazer uma transação, executar um contrato inteligente ou criar um aplicativo descentralizado.

Há também empregos que custam mais do que outros. Se a operação a ser executada exigir um maior uso de recursos pelos nós que formam a plataforma, isso fará com que o preço do gás aumente e vice-versa.

Se uma instrução dentro de um contrato inteligente for mais complexa do que outra, essa instrução mais complexa exigirá um número de Gas maior.

A despesa computacional da Ethereum (Gas) não possui um único utilitário dentro da plataforma. Isso também é o que o torna perfeito para a estabilidade do sistema.

O Gas aloca um custo para a execução de tarefas, similar ao uso de quilowatts por hora para medir o consumo de eletricidade.

Dependendo da dificuldade da tarefa ou a velocidade a que ela é processada, o custo computacional será maior ou menor de acordo ao número de aumento de Gas ou diminui na mesma proporção.

Em grande medida, o sistema Ethereum é seguro graças ao Gas. Ao exigir que uma comissão seja paga para cada operação realizada, a plataforma garante que ela não processe transações inutilizáveis na rede. Isso ajuda a cadeia de blocos a ser mais leve, pois não irá adicionar megabytes de informações inúteis ao blockchain.

Com o Gas, o sistema também é protegido contra spam e o uso infinito de bucles, essas instruções para executar tarefas repetitivas por código. Na ausência de Gas, nada impediria que uma tarefa se repetisse infinitamente, colapsando o sistema e tornando-o inútil.

O Gas ajuda a manter o equilíbrio da plataforma. Quando uma transação é feita ou contrato inteligente se executa uma certa quantidade de Gas é utilizado para cancelar os mineiros pelos recursos que têm sido utilizados em hardware, eletricidade e tempo, e também adicionar uma recompensa pelo seu trabalho pago.

Mesmo assim, o Gas não é uma nova moeda digital, nem serve como unidade de troca.

Embora o Gas é a unidade para medir o gasto computacional de rede ethereum, não há nada para indicar a adesão, ou seja, não há nenhuma maneira de possuir uma carteira para armazenar uma quantidade Gas.
Só existe dentro da Máquina Virtual Ethereum (EVM) para contar a quantidade de trabalho que você está fazendo.

Uma unidade de Gas corresponde à execução de uma instrução de etapa computacional.

Para coletar o Gas usado, é necessário valorizar os recursos consumidos, quantificando monetariamente o trabalho realizado pelos mineradores.

A quantidade de Gas usada em uma transação ou em um contrato inteligente tem um preço equivalente em Éter ou Preço do Gss.

Realizar uma transação Ethereum simples de uma carteira para outra custa una quantidade padrão.

Se esse Gas tiver um preço em Éter para cada número de unidades, o que o mineiro cobra é uma fração de Gas para Ethereum processar a transação.

Ethereum é uma mercadoria digital de valor volátil que  um dia vale mais, outro dia vale menos e seu valor pode mudar muito rapidamente.

Por outro lado, o custo em Ethereum da rede de operações Gas permanece constante à medida que os parâmetros do protocolo não aumenta ou diminui o Gas que custa uma transacção por aumentar ou diminuir o valor do Etereum.

Se isso iria funcionar teria que atualizar o protocolo de código sempre que o valor Ethereum é alterado para manter o preço da despesa computacional em uma escala normal e o sistema utilizável, o que é insustentável porque o preço do Ethereum varia cada minuto que passa.

Portanto, o custo do Gas é separado do preço do Ethereum e isso dá a opção de alterar a quantidade de Gas a ser usada em uma transação e o preço a pagar por ela, estando completamente sob controle do usuário, sem que o sistema esteja em perigo.

Esse recurso fornece estabilidade ao sistema devido ao fato de não criar um mercado paralelo em torno do Gas.

Dentro de uma transação Ethereum, existem várias partes, como o registro de data e hora que indica a hora em que foi processado ou o número do bloco em que foi adicionado.

O limite de Gas indica o valor máximo que uma transação pode consumir para ser válida.

O software para realizar transações na rede nodal da Ethereum calcula automaticamente a quantidade de Gas necessária para realizar a referida transação e a mostra imediatamente.

Uma transação simples que transmite Ethereum de um endereço para outro só precisa de um mínimo de Gas. No caso de executar um contrato inteligente, depende de quão complexo ele é, custará mais ou menos e, portanto, o limite de Gas irá variar.

O Gas usado indica o Gas que a transação precisou  para ser executada. É a despesa computacional do trabalho dos mineiros necessária para processar a transação.

O limite de Gas refere-se ao tamanho do bloco a ser validado. O limite de Gas é mostrado como um dado estimado. Dependendo da complexidade da transação ou do contrato inteligente a ser executado, aumenta ou diminui.

O limite de Gas mostra a quantidade máxima de gás que pode ser usada entre todas as transações que são adicionadas a esse bloco. Isso determina um espaço máximo no bloco em relação ao número de transações que podem ser adicionadas.

O mais comum é que o Gas usado é menor que o limite de Gsa. O que é impossível é que o Gas usado seja maior que o limite de Gas, já que, como seu próprio nome indica, o limite não pode ser excedido.

Se a despesa computacional for maior que o limite de Gas selecionado para a transação, ela aparecerá como falha. O valor a ser processado não será perdido por meio dessa transação, mas deverá ser pago pelo Gas total usado nela.

Preço do Gas é o valor que indica o preço de cada unidade de Gas. É variável e são os mineiros que concordam em aumentar ou baixar o seu preço.

Os preços dos tempos de confirmação das transações na rede Ethereum têm um guia de medidas em GigaWei (Gwei), uma submedida do Ethereum. Na mudança, 1 Gwei é 0,000000001 ethereum.

O preço do Gas é determinado de acordo com o limite de Gas a ser pago ao fazer uma transação no Ethereum. Você pode comprar mais Gas do estabelecido para que a transação ocorra mais rapidamente.

Um aumento no preço do Gas, que é o mesmo que uma alta taxa de transação, incentiva os mineradores a processar a transação antes de outros que estavam na fila.

Se não houver pressa para validar a transação, não há necessidade de comprar mais Gas, já que ela será processada de maneira igual, mas não tão rápida.

Inversamente, se o preço do Gas estiver abaixo de seu limite, a transação não será lucrativa para os mineiros. Igualmente, estes teriam que fazer uma despesa computacional que para a mineração tenha comissão, sendo a transação marcada como inválida. Em outras palavras, se a transação ficar sem Gas, é uma falha própria pela qual se paga.

Estes dados mostram a comissão total cobrada por uma transação específica, que depende diretamente das variáveis Gas usado e preço do Gas.

O preço do Gas seria semelhante ao preço por hora trabalhado por um mineiro; e o Gas Usado seriam as horas trabalhadas.

A comissão da transação é a taxa máxima paga para processá-la. Se o Gas for superestimado, qualquer quantia adicional, por menor que seja, é reembolsada.

O Gas usado acumulado permite ter uma ideia geral em relação ao total de Gás utilizado para todas as transações adicionadas a esse bloco. Ao adicionar o Gas de todas as transações processadas nesse bloco, os dados de Gas usados acumulados são obtidos.

Os mineiros decidem como preencher um bloco com transações sem exceder o limite de Gas do bloco. Não importa como eles fazem e quantas transações adicionam ao bloco. A única regra é adicionar o maior número possível de transações sem exceder esse limite de Gas.

Recompensa do bloco refere-se ao valor que o minerador ou grupo de mineiros recebeu para validar esse bloco e adicioná-lo à cadeia de blocos.

A comissão de uma transação vem da multiplicação da quantidade de gás usada pelo preço do gás - isso é o que os mineiros cobraram por cada transação adicionada ao mesmo bloco para obter o valor em ethereum.

Em um bloco, você também pode adicionar contratos inteligentes, que estimaram seu consumo de Gas. No entanto, calcular isso em um contrato inteligente é um pouco mais complexo.

O contrato inteligente da Ethereum é um programa de computador que se executa automaticamente quando os acordos nele estabelecidos são dados. Ou seja, é auto-executável quando as condições previamente programadas são atendidas.

Contratos escritos sob a linguagem Solidity, uma linguagem de programação criada especificamente para fazer contratos inteligentes.

Quando os contratos são compilados, eles se tornam uma série de códigos de operação chamados opcodes. Em um contrato inteligente, o Gas varia de acordo com os opcodes utilizados, cujo consumo de Gas é sempre variável.


O Teste de Trabalho da PoW é um protocolo que tem como principal objetivo dissuadir ataques cibernéticos, como um ataque de denegação de serviço distribuído (DDoS) que esgota os recursos de um sistema de computo enviando vários pedidos falsos.

O conceito Teste de Trabalho PoW, existiu antes de Bitcoin, sendo talvez a idéia mais importante do livro branco de Bitcoin, porque permite um consenso distribuído sem confiança.

Esta técnica PoW foi originalmente publicada por Cynthia Dwork e Moni Naor em 1993, embora o termo tenha sido cunhado por Markus Jakobsson e Ari Juels em um documento publicado em 1999.

Um sistema de consenso sem confiança e distribuído significa que, se você deseja enviar e / ou receber dinheiro de alguém, não precisa confiar em serviços de terceiros.

Ao usar métodos de pagamento tradicionais, é necessário confiar em um terceiro para estabelecer a transação, quem mantém seu próprio registro particular que armazena o histórico de transações e os saldos de cada conta. Ambas as partes devem confiar em que este terceiro faça o que é certo.

Com a Bitcoin todos têm uma cópia do livro-razão (cadeia de blocos) para que ninguém tenha que confiar em terceiros, e qualquer um pode verificar diretamente a informação.

O teste de Trabalho PoW é usado pela cadeia de blocos de Bitcoín, Ethereum o e outras cadeias de blocos.

O Teste de Trabalho é um requisito para definir um cálculo computacional oneroso chamado mineração, que deve ser feito para criar um novo grupo de transações não confiáveis ​​chamado bloco em um livro gerado chamado cadeia de blocos.

A mineração tem dois propósitos: verificar a legitimidade de uma transação ou evitar a chamada dupla despesa; e criar novas criptográficas digitais recompensando mineiros por completar a tarefa.

Quando as transações ficam estabelecidas, elas são agrupadas em um bloco; os mineiros verificam que as transações dentro de cada bloco sejam legítimas; para fazê-lo, eles devem resolver um enigma matemático conhecido como um problema de Teste de Trabalho, que premia com uma recompensa ao primeiro mineiro que resolve cada problema de bloqueio; e as transacções verificadas são armazenadas em uma cadeia pública de blocos.

Este problema matemático tem uma característica chave: a assimetria. O trabalho deve ser moderadamente difícil do lado do candidato, mas é fácil de verificar para a rede. Essa idéia também é conhecida como função de custo, quebra-cabeças de clientes, quebra-cabeças computacionais ou função de preços.

Todos os mineiros da rede competem para ser o primeiro a encontrar uma solução para o problema matemático que diz respeito ao bloqueio candidato, que não pode ser resolvido de outra maneira que através da força bruta, o que basicamente exige um grande número de tentativas.

Quando um mineiro finalmente encontra a solução certa, ele o anuncia ao mesmo tempo para toda a rede e, portanto, recebe uma recompensa em cripto-moedas fornecidas pelo protocolo.

Do ponto de vista técnico, o processo de mineração é uma operação de hashing inversa: determina um número (nonce), de modo que o algoritmo de hashing criptográfico dos dados do bloco resulta em menos de um determinado limite.

Esse limite, chamado de dificuldade, é o que determina a natureza competitiva da mineração: mais poder de computação é adicionado à rede, cujo maior aumento nesse parâmetro incrementa o número médio de cálculos necessários para criar um novo bloco.

Este método também aumenta o custo de criar o bloco, incentivando os mineiros a melhorar a eficiência de seus sistemas de mineração para manter um equilíbrio econômico positivo, uma atualização dos parâmetros que devem ocorrer aproximadamente a cada 14 dias.

No entanto, agora os desenvolvedores da Ethereum querem implantar um novo sistema de consenso chamado Test of Participação, PoS (Probe-of-Stake, em inglês).

O Teste de Participação é uma maneira diferente de validar transações baseadas em alcançar o consenso distribuído, que continua sendo um algoritmo com o mesmo propósito do Teste de Trabalho, mas cujo processo para alcançar o objetivo é diferente.

Ao contrário do Teste de Trabalho, onde o algoritmo recompensa os mineiros que resolvem o problema matemático por força bruta para validar transações e criar novos blocos, com o Teste de Participação PoS, o criador de um novo bloco é escolhido de forma determinista, dependendo da sua riqueza em cripto-moedas, também definida como participação.

Considere que os criptogramas são criados anteriormente no início e seu número nunca muda. Isso significa que, no sistema PoS, não há recompensa por bloco, e portanto, os mineiros recebem as taxas de transação.

Neste sistema, os mineiros são chamados de validadores ou falsificadores.

Em um consenso distribuído com base no Teste de Trabalho PoW, os mineiros precisam de muita energia elétrica, custos que são pagos com moedas fiduciárias, o que gera uma pressão descendente constante sobre o valor da cripto-moeda.

Os desenvolvedores de Ethereum estão bastante preocupados com esse problema e querem explorar o teste do método que eles estão apostando para obter uma forma de consenso mais ecológica e mais barata.

Além disso, as recompensas para a criação de um novo bloco são diferentes: com o Teste de Trabalho, é possível que o mineiro não possua nenhuma das moedas digitais que ele está extraindo.

Na prova de apostas, os falsificadores são sempre aqueles que possuem as moedas cunhadas.

Como são selecionados os validadores ou falsificadores? Através de Casper, o novo teste do protocolo de consenso da estaca.

Casper é um contrato inteligente que não requer cálculos pesados. Os validadores - o equivalente PoS dos mineiros - executam contratos inteligentes em suas próprias CPUs (Central Processing Unit). Além das taxas de transação, podem receber uma concessão Ethereum (ETH).

O plano atual é para um estágio de cadeia híbrida PoS / PoW, onde os mineiros Casper e PoW coexistirão.

Os usuários podem se unir a este grupo para ser selecionado como um falsificador ou validador. Este processo estará disponível através da função de invocar o contrato Casper e enviar Ether - a moeda que alimenta a rede Ethereum - junto com ele.

Mas o Teste de Participação é mais seguro que o Teste de Trabalho? Há ceticismo.

Usando um sistema de Teste de Trabalho, os atores ruins são eliminados graças a desincentivos tecnológicos e econômicos. Na verdade, programar um ataque em uma rede PoW é muito caro e exigiria mais dinheiro do que pode roubar.

Em contraste, o algoritmo subjacente de Teste de Participação pode ser um teste de rede baseado em uma equação mais barata de atacar.

Para resolver esse problema, o protocolo Casper foi criado, um algoritmo projetado que pode usar o conjunto de circunstâncias em que um validador incorreto poderia perder seu depósito.

O objetivo econômico alcançado em Casper exige que os validadores enviem depósitos para participar e retirar se o protocolo determina que eles agiram de maneira que viola algum conjunto de condições que se referem às circunstâncias ou as regras que um usuário não deve quebrar.

Graças a um sistema de Teste de Participação PoS, os validadores não precisam usar seu poder de computação porque os únicos fatores que influenciam suas possibilidades são o número total de suas próprias moedas e a atual complexidade da rede.

Esta possível mudança futura de PoW para PoS pode proporcionar economia de energia e uma rede mais segura à medida que os ataques se tornam mais caros: se um hacker quiser comprar 51% do número total de moedas, o mercado reage rapidamente nos preços.

Desta forma, Casper será um protocolo de depósito de segurança que se baseie em um sistema de consenso econômico. Os nós ou validadores devem pagar um depósito de segurança para fazer parte do consenso graças à criação de novos blocos.

O protocolo Casper determinará o valor específico das recompensas recebidas pelos validadores graças ao seu controle sobre depósitos de segurança. Se um validador criar um bloqueio inválido, seu depósito de segurança será removido, bem como seu privilégio de fazer parte do consenso da rede.

Em outras palavras, o sistema de segurança da Casper é baseado em algo como apostas. Em um sistema baseado no Teste de Participação PoS, as apostas são as transações que de acordo com as regras de consenso, recompensarão o seu validador com um prêmio monetário junto com cada cadeia em que o validador apostou.

Assim, Casper baseia-se na ideia de que os validadores apostarão de acordo com as apostas de outros e deixarão retroalimentações.

Ethereum poderia se tornar uma loja monetária de valor - Store of Value - não soberano de dezenas de trilhões de dólares.

Isso levanta questões importantes para a viabilidade e segurança de plataformas de contratos inteligentes em um cenário futuro em que seus ativos nativos não são mantidos como um depósito monetário de valor.

Ao mesmo tempo há um crescimento e atividade de significativos desenvolvimentos no ecossistema Ethereum, que tem novos primitivos financeiros e infraestrutura que prometem criar um enorme valor econômico.

A questão crucial é se alguma proporção do valor da atividade econômica em cima dela será capturada no preço de EthereumIsto se compara com a comunidade Linux de código aberto que criou um valor econômico massivo, mas não tinha como capturá-lo de maneira eficaz.

Os desenvolvedores e aplicativos não criam valor em uma criptomoeda nativa, pois a única maneira que o valor pode acumular é se os investidores estiverem dispostos a mantê-lo como um dinheiro sólido.

O crescimento do ecossistema Ethereum indica a demanda por plataformas de contrato inteligente – Smart Contrat Plataforms - pode potencializar novos ativos e protocolos financeiros digitais nativos.

Se a demanda por plataformas de contrato inteligente continuar a crescer, a rede Ethereum poderia potencialmente suportar bilhões ou trilhões de dólares de atividade econômica.

Mas se o Ethereum não for mantido como reserva de valor e usado apenas como commodity para pagar as taxas do Gás - gasto de tipo computacional do Ethereum - seu valor pode não crescer proporcionalmente.

Ao passar para a prova de participação, isso poderia tornar o Ethereum barato de atacar e, portanto, não seguro, limitando sua viabilidade de uso em muitas de suas possíveis aplicações.

A maioria dos proponentes do Bitcoin argumentam que os contratos inteligentes não são viáveis ou que devem estar em uma segunda camada em cima do Bitcoin.

No entanto, é possível que a funcionalidade de contrato inteligente no Bitcoin não seja capaz de competir com o contrato inteligente completo da Turing com Ethereum, ou que não venha logo.

Será que os desenvolvedores estarão dispostos a esperar por essa funcionalidade de segunda camada além do dinheiro sólido, ou seguirão em frente e construirão plataformas disponíveis, como a Ethereum, apesar da questão de longo prazo sobre o valor dos ativos nativos?

Enquanto a viabilidade de aplicativos voltados ao consumidor ainda não é clara, não há dúvida de uma crescente adoção de infra-estrutura financeira tokenizada incluindo os títulos, câmbio descentralizado, empréstimos, e mercados de previsão.

Portanto, a questão-chave é: pode haver um futuro em que a Ethereum se torne uma infra-estrutura pública crítica que suporte trilhões de dólares de atividade econômica em cima dela sem seu ativo nativo? Sendo mantido como uma reserva monetária global de valor?

O impacto dos Valores Mobiliários na emissão de acções como tokens com base blockchain para criar uma maior eficiência e atualizar a infra-estrutura, é trazer trilhões de dólares de ativos tradicionais para a era digital.

Embora a resistência à censura e a imutabilidade não sejam necessárias para esse caso de uso, um banco de dados global que não pertence a uma empresa do setor fornece um benefício significativo-

Se Ethereum se tornar o principal blockchain sem permissão e o padrão aberto para títulos com tokens, isso criaria demanda para que o Ether seja gasto como Gas para transferir esses ativos.

No entanto, em transações em cadeia poderia ser limitado a soluções de escala de segunda camada como ganho de tração.

Utilizando essa tecnología o Ethereum é como capital de giro a alta velocidade que poderia prejudicar seu negócio principal, reduzindo a segurança da infraestrutura subjacente que alimenta os produtos que geram seus lucros.

É possível que o potencial significativo da Ethereum para criar valor econômico para as empresas tradicionais de fluxo de caixa poderia levar a uma nova tese em que se torna infra-estrutura pública crítica, como uma reserva de segurança nacional que protege grande parte da nova economia digital.

À medida que maiores quantidades de valor econômico são garantidas por blockchain ou bloqueios públicos, haverá mais ataques contra eles. Se houver um valor significativo de títulos simbólicos no topo da blockchain da Ethereum, seria de interesse do governo proteger esse valor dos ataques de atores hostis.

Quando a Ethereum muda para a prova da estaca, a melhor maneira de aumentar a segurança dele é comprar e manter grandes quantidades de Ethereum para aumentar o custo necessário para atacá-la.

Se os governos, instituições financeiras e empresas de geração de fluxo de caixa dependem de Ethereum como infra-estrutura pública para o seu estabilidade econômica e lucros, poderiam ser incentivados a comprar e manter Ethereum não como uma loja monetária do valor, mas como um investimento em sua segurança digital.

Esse valor provavelmente precisaria se acumular proporcionalmente ao crescimento da atividade econômica em cima de Ethereum, pois o nível de interrupção que um ataque causaria aumentaria, proporcionando um maior incentivo para os atores hostis.

Governos, empresas e investidores também poderiam especular sobre o crescimento da atividade econômica nessas plataformas, apostando na compra crescente dessas entidades para garantir essa atividade, proporcionando um incentivo adicional ao lucro e maior segurança para a rede.

De importância ainda maior é a possibilidade remota, mas real, de que nações menores que sofrem de moedas fiduciárias hiperinflacionadas, possam ver suas economias mudarem para moedas descentralizadas baseadas no Ethereum.

Se usam várias suposições. Primeiro, a suposição de que a prazo de 10 anos, poderia haver dezenas de trilhões de dólares em valor global em títulos simbólicos. Isso pode incluir dívida global, imóveis e novos fluxos de caixa cripto nativa tokenizada, além de ações.

Tudo envolverá a compra e a manutenção de ativos nativos de blockchain. Como os problema acontecerám, as empresas e os governos podem querer aproveitar essa infraestrutura pública, e até ter ou não ter valor no Bitcoin ou Ethereum para protegê-la.

O momento em que o mercado converga para uma visão comum, terá um impacto instrumental sobre o potencial dos blockchain acumular valor no longo prazo como loja da segurança nacional que se torne uma reserva de valor.

Quanto mais tempo o ecossistema considere que há a possibilidade de agregar valor a longo prazo sob qualquer tese, mais atividade económica criada depende da infra-estrutura subjacente, gerando uma demanda para manter a segurança do blockchain.

Se o mercado converge em um futuro próximo na crença de que nunca vai agregar valor, existe um risco de impedir que os desenvolvedores e as empresas de construção de produtos em cima dele que criam valor econômico nunca dando-lhe uma chance para gerar a demanda para ser protegido.

Existem, sem dúvida, falhas significativas com este modelo bruto e muitas premissas nesta tese o tornam improvável. Ainda há grandes questões sobre a escalabilidade e a capacidade da rede de efetivamente escalar para atender à demanda e manter uma descentralização suficiente para que se torne um repositório monetário de valor.

Embora, qual porcentagem da atividade econômica global em cima de uma blockchain pública precisa ser mantida no ativo nativo para protegê-la? Esta questõe é relevante para o Bitcoin em um futuro potencial onde existam outros ativos emitidos no blockchain Bitcoin.

Ao invés de otimizar para o crescimento da quantidade de computação futura que impulsione uma maior utilização de taxas, os desenvolvedores podem ser mais de otimização para casos de uso com a maior quantidade de valor econômico armazenado como ativos, mesmo que eles gerem menos taxas.


Bitcoin, bolha, investimento, especulação, a próxima grande coisa depois da internet...

Em realidade, no entanto, nenhum deles descreve o que é Bitcoin e a cadeia de blocos e como provavelmente redefiniram o futuro da humanidade para sempre como alternativa e decreto indelével ao atual sistema monetário padrão de moeda fiat.

Desde o inicio, bancos e governos têm controlado o sistema monetário, e isso cria todo tipo de problemas para a pessoa comum, verdadeiro escravo do sistema de banca central, por depender de entidades oniscientes que podem decidir sobre como o dinheiro circula na economia global.

Todo país do mundo possui uma moeda fiduciária emitida pelo respectivo governo, susceptível às flutuações econômicas de inflação ou deflação.

Um sistema monetário corroborado de ´mão invisível´ que não assegura a estabilidade social, mas sim pressupostos econômicos que geralmente são influenciados pelas necessidades de certos indivíduos, elevados na hierarquia de dominância da sociedade que farão o que for necessário para manter seu poder e riqueza, entre momentos artificiais de crise e de prosperidade, criando dívida e bolhas.

O blockchain é uma ferramenta de automação de confiança protegida por criptografia. A necessidade de computo poderoso é essencial porque é a forma como o algoritmo Bitcoin funciona, pelo que os processadores competem uns com os outros para decodificar elementos criptográficos específicos envolvidos no processo de criação de bitcoin.

Basicamente, cada bloco adicionado em uma cadeia contém uma quantidade específica de bitcoins que podem ser extraídos através da resolução do enigma criptográfico.

Se alguém ataca a rede, a quantidade de recursos que precisa gastar é proporcional ao número de usuários e ao poder computacional que somam uns aos outros. É por isso que é cada vez mais difícil atacar a cadeia de blocos - e com o custo de convencer ao 51% de que essa versão é a válida.

Além da consideração de circulação limitada e possibilidades de viabilidade e uso - que incluem descentralização não governada por ninguém, segurança, anonimato e facilidade - o que torna a cadeia de blocos a alternativa mais importante às moedas fiduciárias que o mundo tenha visto.

Os forks são discrepâncias de como progredir no softwear que os mineiros executam. Mas o desacordo vem tanto dos desenvolvedores, mineiros e usuários. Algo que inevitavelmente tem que acontecer no mundo das moedas de criptografia.

O hard fork ou bifurcação ocorre quando as transações saturam a rede ao aumentar o número de usuários. O hard fork é alcançado por consenso entre a comunidade que atualiza a estrutura da cadeia de blocos.

A partir de um número de bloco definido, haverá dois protocolos criptografados no idioma inicial da criptografia, e duas cadeias de bloco independentes que possuem uma criptografia comum até o bloco de bifurcação, cujo novo valor, sem perder unidades, será determinado pelo mercado.

Bitcoin fez possível a Quarta Revolução Industrial na qual já estamos imersos; Blockchain, Big Data, Inteligência Artificial, Machine Learning, Internet das Coisas; só comparável ao nascimento e desenvolvimento da Internet e da economia colaborativa. Isto será conseguido através da criação de sistemas distribuídos criptograficamente seguros, o que significa o nascimento de uma nova Internet, a Internet do Valor, na qual enviar a propriedade de algo será normal.


Todo mercado tem três dimensões principais: 1) Análise Técnica 2) Análise Fundamental 3) Manipulação.

A 4ª dimensão do mercado é o Cartel. Seu principal objetivo é a supressão de preço.

Um cartel é uma organização criada a partir de um acordo formal entre um grupo de produtores de um bem ou serviço para regular o suprimento e assim poder manipular os preços. Em outras palavras, um cartel é uma coleção de empresas ou países que atuam juntos como um único produtor, portanto sendo capazes de fixar preços para que os bens que oferecem e os serviços que prestam não sofram concorrência. A OPEP é seu mais vivo exemplo.

O cartel entrou no espaço das crypto moedas em algum momento em outubro de 2017. Sua presença começou com o Mercado de Futuro (Futures Market) do Chicago Mercantile Exchange.

O dump - despejo - de Bitcoin começou exatamente no momento em que este mercado de futuros do Chicago Mercantile Exchange (CME) abriu suas portas digitais em 17 de dezembro de 2017.

Um despejo de memória completo registra todo o conteúdo da memória do sistema quando o computador para inesperadamente. Um despejo de memória completo pode conter dados de processos que estavam em execução quando o despejo de memória foi coletado.

Se ocorrer um segundo problema e outro concluir um dump de memória do principal, o arquivo será criado, e o arquivo anterior será sobrescrito.

Houve um serie de dumps desde 24 de março a 01 de abril. Um interessante padrão de venda foi observado quando a qualquer momento o preço tentava recuperar-se e dump aparecía do nada. Todos estes dumps de alto volume, e a maioria começaram do preço do anterior dump.

Parece um vendedor querendo um preço menor de Bitcoin.

Veja o que aconteceu em Crypto Exchange OKEx Hong Kong: ´Caros clientes, de 5:00 – 6:30 em 30 de março de 2018 (horário de Hong Kong), um número de usuários realizou transações incomuns para manipular o preço do contrato de futuros trimestrais da BTC, fazendo com que ele se desviasse muito do índice BTC. Com base na investigação da nossa equipe, o usuário fechou uma enorme quantidade de posições a preço de mercado sem considerar o custo, fazendo com que ele caísse para um nível incomumente baixo. Vamos divulgar os detalhes das transações em outro aviso´.

Usuário sem considerar o custo? Esta é uma pegada do Cartel. A Manipulação não parará depois que ela for capturada.

Por suas dimensões o Cartel está ativo em poucos mercados. É ouro, prata, óleo e bitcoin.

Bitcoin foi adicionado à lista dois meses atrás. A mão invisível do Cartel começou a mostrar a sua presença desde dezembro de 2017, apesar de terem entrado no mercado muito antes.

Ouro e Prata caíram para o seu custo de produção ($ 1200 / $ 14) e muitos mineiros faliram. Ainda há muitos bugs - erros de programação - no softwear do Ouro que são pegadas não resolvidas sobre o Cartel.

Até agora, o Bitcoin tem caído consistentemente desde o início do mercado de futuros do Chicago Mercantile Exchange (CME) em dezembro de 2017. Será que o bitcoin segue o caminho manipulado dos metais preciosos?

Em 29 de janeiro de 2018, a Commodite Futures Traiding Commission (CFTC) arquiva oito ações de imposição antifraude contra três bancos (Deutsche Bank, HSBC e UBS) e seis pessoas físicas - por falsificação com relação a certos produtos futuros em ouro e outros metais preciosos negociados na Commodity Exchange, Inc. (COMEX).

Mais uma vez, observe que a palavra clave é “Futuros”. 

O Cartel consiste em certos operadores, agências, grandes instituições financeiras e mídia. Todos eles em perfeita sincronia realizando ataques coordenados para atingir a meta de supressão de preços.

Entre 30 de janeiro de 2018 e 07 de março de 2018, o bitcoin estava em um suporte crítico de $ 10.000. Uma vez que o preço foi quebrado, o Cartel assumiu o controle e começou a dar suporte ao Bitcoin, e hoje controla o preço na baixa.

A elite financeira reconheceu que Bitcoin e as crypto moedas em geral são uma ameaça à sua existência.

O que os poderes mundiais fazem quando vêm algo como uma ameaça ou um inimigo? Eles tentam-o destruir por todos os meios. Portanto, é extremamente importante para a elite financeira parar a ascensão do Bitcoin para que seu programa possa continuar.

O que eles fazem para deter a escalada nos preços do Bitcoin? Primeiro deixaram subir o preço a uma altura inimaginável de $ 19.000. Então deixam cair a baixos inimagináveis. Eles farão isso muitas vezes. Têm trilhões de dólares para manter o show em andamento, até que o investidor desista de frustração.

Tudo é sobre controle de dinheiro sob carga de dívida insustentável.

Bitcoin foi colocado no tabuleiro geopolítico em 2017. A maioria de investidores não tem ideia do tamanho deste jogo. O espaço criptográfico é apenas um peão neste tabuleiro de xadrez que tem séculos de séculos de elite movendo os peões (Ouro, Prata e agora Bitcoin).

Bitcoin sofre de falta de clareza normativa. Os Estados Unidos são um exemplo perfeito disso. O Departamento do Tesouro define as moedas criptográficas como propriedade digital; a Rede de Controle de Crimes Financeiros as considera moeda estrangeira; a Comissão de Comércio de Mercadorias considera-as mercadorias; A Securities and Exchange Commission as trata como se fossem títulos.

A realidade é que a Bitcoin é uma tecnologia que oferece diferentes aplicações, todas com certa semelhança aos respectivos instrumentos financeiros citados. 

Quando o dinheiro flui para Ouro, Plata e Bitcoin, isso mostra que os poderes estão falidos e que seu dinheiro fiduciário é inútil. Se esses ativos aumentarem, toda a oferta monetária secará e entrará nesses ativos.

Quando o dinheiro fica em mercados de ações e títulos, ele suporta o comércio de moeda Fiat. Portanto, é muito importante que os mercados de ações e títulos permaneçam intactos e mantidos elevados artificialmente.

Na verdade há uma contra parte do Cartel no mercado de ações chamada - Plunge Protection Team - PPT.

O Plunge Protection Team é o nome dado ao Grupo de Trabalho sobre Mercados Financeiros (PPT) originalmente criado para fornecer recomendações financeiras e econômicas na esteira de turbulentos tempos de mercado. Os membros da equipe são o Secretário do Tesouro, o Presidente do Conselho de Governadores da Reserva Federal, o Presidente da Comissão de Valores Mobiliários e o Presidente da Comissão de Negociação de Futuros de Mercadorias.

O trabalho do PPT é manter artificialmente elevados as ações e os mercados de títulos, usando o dinheiro impresso para que o sonho da falsa prosperidade continue à medida que as nações vão à falência.

A supressão de preços funciona muito melhor do que proibir qualquer coisa. Quando ocorre a supressão de preços, a maioria das pessoas rejeita que haja algo errado ou malicioso sobre a queda de preço, mesmo que os fundamentos em favor sejam fortes.

Na verdade, aqueles que apontam a supressão de preços são chamados de ´teóricos da conspiração´. Como o preço continua a baixar as pessoas começam a desprezar o ativo. É o que aconteceu com Ouro e Prata desde 2011. Quanto mais caiu, mais pessoas os rejeitaram.

Muitos venderam metais preciosos na parte inferior do preço e mudaram para Bitcoin e crypto moedas quando estavam no topo. É exatamente isso, coletar a preço baixo, que as elites querem que o investidor faça.

Portanto, a opção mais fácil é manipular o preço de um ativo para que as próprias pessoas se livrem dele sem que políticos ou governos tenham de enfrentar as conseqüências da proibição de um ativo. Os governos e a banca perceberam que isso funciona muito melhor do que proibir qualquer coisa.

Com base na premissa de que os preços do Ouro e Prata foram suprimidos nos últimos 7 anos, a supressão de preços das crypto moedas será no Mercado de Futuros (Futures Markets) negociando nas bolsas de divisas.

O Cartel comprou fortemente bitcoin a partir de $ 2.000 a $ 12.000. Eles deixam o mercado voar até $ 19.000, em uma campanha concentrada de manipulação de preços que pode ter respondido por pelo menos a metade do aumento no preço de bitcoin a outras grandes crypto moedas no ano passado. Desde então, o preço caiu até 70%.

Inicialmente, o Cartel continuará a suprimir os preços das crypto moedas nas bolsas até que o volume do mercado futuro se acumule. Uma vez que o volume suficiente seja logrado no mercado futuro, eles não precisarão mais de Cartel para operar nas bolsas.

Em termos simples, o Bitcoin será vendido como milho ou laranja quando volumes forem construídos no Chicago Mercantile Exchange.

A maioria da comunidade das crypto divisas não acredita que Cartel existe ou que há algum tipo de ataque coordenado acontecendo no Bitcoin. No máximo, eles acham que são baleias ou manipuladores.

Então por qué o Bitcoin começou a cair exatamente na hora em que o Chicago Mercantile Exchange abriu? Muitos dizem que a correção estava atrasada de qualquer forma e que uma queda de 50% e mais é normal.

Até abril, 200 bilhões de dólares foram eliminados do valor de mercado - $ 327B a $ 130B. Isso não parece uma correção natural.

O bitcoin não será banido, desde que possa ser controlado. Mas o seu preço continuará a flutuar com muitos ralis entre máximos e mínimos.


Qualquer quantidade de dinheiro na sociedade é ótimo. Uma vez que o dinheiro é estabelecido, um aumento na sua oferta não confere nenhum benefício social.

O Bitcoin tem dois componentes principais: mineiros que resolvem problemas computacionais usando chips para fins especiais através do Proof-of-Work ou Prova de Trabalho, e nós completos que armazenam o blockchain e retransmitem e validam transações e bloqueios que os mineradores constroem.

O roteiro atual enfatiza a manutenção de blocos o mais pequenos possível para minimizar o custo de verificar sem confiança blocos criados por mineradores e usar o blockchain principalmente como uma camada de liquidação para acomodar qualquer número de transações de sistemas complexos de camada superior em um.

A comunidade Bitcoin considera os blocos pequenos essenciais para permitir que todos os usuários verifiquem transações, imponham regras consensuais, negociem com mais privacidade e desenvolvam um registro constante de transações no pool para pagar a segurança da mineradora por meio de taxas de transação, à medida que a inflação diminui. leva a zero bitcoins recém-cunhados por bloco.

O Bitcoin e sua blockchain são um ativo desinflacionário, resistente à censura e de fornecimento fixo que não pode ser fechado por nenhum governo e opera sem terceiros confiáveis na solução financeira mais confiável como sistema já criado.

BTC continua sendo 99% do valor. A razão pela qual a maioria dos novos investidores em criptografia anuncia a hipótese da utilidade é porque você não pode obter um desconto na pré-venda do Bitcoin.

A Lightning Network (LN) é uma rede peer-to-peer de canais de pagamento sem confiança construída com contratos inteligentes Bitcoin, e é uma solução de escalabilidade proposta para aumentar o rendimento da transação sem sacrificar a descentralização. Usando a correção de maleabilidade de uma atualização de 2017 chamada SegWit - testemunha segregada - os contratos inteligentes que permitem canais de pagamento são agora mais facilmente implementados.

O Lightning Network ou relâmpago de rede, permite que dois usuários abram canais de pagamento entre eles a partir da cadeia principal, e os contratos são usados para rotear pagamentos por meio de outros canais de pagamento se o pagador e o beneficiário não tiverem um canal direto aberto. O Lightning Network está atualmente em versão beta com mais de 2.000 nós e 5.000 canais já abertos, e determinados aplicativos (Lightning Apps) que demonstram o potencial de micropagamentos foram lançados.

Haverá apenas 21 milhões de bitcoins. A oferta é desinflacionária, com a taxa de produção caindo pela metade a cada quatro anos ou 210.000 blocos. Inicialmente, 50 bitcoins foram cunhados em cada bloco, e em 2020, essa taxa voltará a metade para 6,25 por bloco, com a última fração de um novo bitcoin esperado para 2140.

O Bitcoin Cash (BCH) é um fork do Bitcoin que enfatiza o aumento do throughput on-chain, não off-chain, o que significa que no momento as cadeias de blocos tem uma capacidade limitada de escalar, ou escalabilidade. Uma das maiores barreiras tecnológicas que enfrentamos hoje com a blockchain. Tornou-se rapidamente uma área de pesquisa muito ativa entre desenvolvedores da comunidade de criptomoedas em geral.

O roteiro inclui o aumento contínuo do tamanho do bloco a cada seis meses, com o sistema atualmente suportando um tamanho de bloco de 32 megabytes (MB). Esse limite é em comparação com o limite de peso do bloco de 4 MB do Bitcoin, o que resultou em blocos com mais de 2 MB.

O Bitcoin Cash planeja escalonar progressivamente em direção ao tamanho ilimitado de blocos, e a comunidade não acredita que os usuários médios sejam capazes de permitir a validação de blocos que os mineradores produzem.

Os proponentes enfatizam as baixas taxas de transação e incentivam os pedidos on-chain para aumentar a utilidade, e gastam e substituem o Bitcoin Cash. Os desenvolvedores estão trabalhando no suporte a tokenização on-chain, incluindo ICOs e ativos simbólicos, por meio de um engenharia de contrato inteligente (Smart Contract Engine).

O Bitcoin Cash introduziu um novo algoritmo de ajuste de dificuldade (DAA) através de um hard-fork que resultou em mais de 90.000 BCHs em comparação com os BTCs, também com um limite em 21 milhões.

Chia é uma próxima criptomoeda liderada por Bram Cohen, o criador do BitTorrent, comercializado como uma versão melhor do Bitcoin que pode ser mais distribuído, mais seguro e mais ecológico.

A rede Chia é composta de nós completos que armazenam as transações blockchain e relés e blocos, e agricultores (análogos aos mineiros) que usam Prova de Espaço e Prova-de-Tempo, que estabelece um sistema descentralizado centralizado entre as partes interessadas, para alavancar o armazenamento em massa do espaço inutilizado ao redor do globo em vez de resolver problemas computacionais intensivos em energia com a Prova de Trabalho.

O armazenamento é uma indústria de mais de $ 100 bilhões de dólares por ano com cerca de 50% de utilização.

Para comprovar o espaço, os agricultores preenchem os discos rígidos com dados como prova de que eles alocaram espaço para um desafio e, em seguida, buscam sua melhor prova de espaço. Como as provas de espaço não custam muita energia, a cadeia estaria vulnerável aos chamados ataques de moagem se apenas a prova de espaço fosse usada. Por exemplo, uma tentativa de agricultor a re poderia cultivar a cadeia inteira depois de anos de génese, o que seria possível, teoricamente, dado o rápido crescimento da capacidade do disco rígido em comparação com o que teria sido disponíveis quando a cadeia começou.

Chia resolve o principal ataque de moagem alternando entre provas de espaço (paralelizável) e provas de tempo (sequenciais). Proof-of-Time ou Prova de Tempo é formalmente conhecido como prova-de-Sequential-Work, ou Algoritmo Retardado verificável (Delay Algorithm), sendo um tipo especial de prova de trabalho que exige um número específico de iterações, o que prova certa quantidade de iterações cronometrado, não tempo real que passou. Como prova a hora do relógio, um moedor nunca conseguiria alcançá-lo, já que levaria dois anos para reescrever dois anos de história.

Para cada bloco, os agricultores devem como primeiro trabalho um desafio para a prova de espaço que requer tomar um hash da última prova do tempo e, aleatoriamente, mapeando-o para pontos sobre. Em seguida, uma prova de tempo que finaliza o bloco. O melhor ponto ou prova de espaço mais próximo do desafio é terminar em primeiro lugar, como o número de iterações necessárias para concluir uma prova do tempo é dependente do resultado da prova de espaço.

Proof-of-Time gera uma prova para verificadores de que certa quantidade de tanto tempo (iterações) foi gasto gerando a saída, que é a produção canônica direita, a única saída correta, provavelmente produzirá provas para acelerar a verificação.

Chia exigirá uma configuração confiável; se uma configuração falsa for detectada, a cerimônia de instalação teria que ser executada, mas os fundos não estariam em risco e a cadeia operaria normalmente com uma verificação mais lenta.

Chia irá basear-se no código Bitcoin, ter compatibilidade Lightning Network ou relâmpago de rede, apoio, SegWit (testemunha segregada) e está planejando para começar com Bitcoin Script antes de lançar um baseado em pilha atualizável, um novo conjunto de códigos operacionais incluindo novos controles de fluxo. Desconhecido para o público, Chia será permanentemente inflacionário.


Os ativos blockchain e cripto moedas, tem alguns aspectos que ainda dificultam sua adoção em massa.

Volatilidade con mercados altamente especulativos e variações extremas de preços.

Regulação com áreas cinzentas e posições governamentais não declaradas que dificulta que as empresas criem soluções legítimas e confiáveis.

Escalabilidade. A incerteza em relação à capacidade das tecnologias blockchain de obter eficiência global para competir com soluções centralizadas.

Experiência do usuario. Possuir e usar criptomoedas com segurança é uma luta para a maioria; o uso de serviços blockchain é um desafio.

Os quatro aspectos são fatores extremamente limitantes para o desenvolvimento do ecossistema de ativos digitais. De todos eles, a volatilidade é o maior desafio.

Nos mercados tradicionais, a cobertura é uma estratégia financeira concebida para reduzir o risco, equilibrando as posições no mercado, protegendo-o da volatilidade.

Se um investidor detentor de uma ação pode cobrir o risco de queda das ações por meio da compra de opções de venda naquele título ou em outras empresas relacionadas no setor.

As soluções de cobertura descentralizada nas filas de saldo são consideradas a melhor solução para cobertura de criptografia de moeda.

O dinheiro existe para servir como meio de troca, unidade de conta e reserva de valor. Volatilidade dificulta as três razões. Isso isenta os criptos-ativos, e neste caso criptomoedas, de serem usados como dinheiro.

Embora se tornar uma moeda não seja o único objetivo das tecnologias blockchain, garantir a estabilidade é fundamental para o desenvolvimento do ecossistema e a volatilidade desafia os mecanismos de criptografia. Os custos e, portanto, os incentivos são altamente imprevisíveis.

Na teoría, stablecoins são criptoactivos estáveis porque mantêm um valor quase constante contra um preço alvo (por exemplo, USD).

A volatilidade impede a adoção generalizada de criptomoedas como reserva de valor. Por estarem sujeitos a grandes flutuações, não representam um meio de troca ou uma unidade de conta apropriada.

Na verdade, nenhuma empresa poderia aceitar moedas digitais quando seu valor pudesse cair drasticamente no dia seguinte. Também torna mais difícil para qualquer pessoa aceitar uma moeda como uma unidade, já que não há uma aceitação comum de quanto valerá ou se valerá a pena. Uma unidade de medida, por definição, deve permanecer estável. Assim, a volatilidade transforma o que deveriam ser: criptomoedas especulativas e um monte de itens altamente qualitativos.

A volatilidade tem várias causas, incluindo a percepção pública em constante mudança de mercados não regulamentados.

Stablecoins são projetados para qualquer aplicação descentralizada que requer um limite de baixa volatilidade para ser viável em uma cadeia de blocos.

As características definitivas das moedas estáveis ou estáveis são casos de uso de aplicações nas quais a volatilidade deve ser reduzida, como as remessas para cobrir os preços enquanto os pagamentos estão sendo processados; pagamentos comerciais (Comércio e Pagamentos) para qualquer empresa aceitar pagamentos diários, em moeda corrente ou criptografada, evitando a volatilidade; salários e aluguéis ou qualquer outro pagamento recorrente; mercados de empréstimos e previsões sobre questões de longo prazo; negociação e gestão de riqueza.

Nesse caso, moedas estáveis são necessárias porque devemos habilitar a denominação de pares comerciais em dólares americanos em vez de bitcoin ou ethereum; permitir a exposição a taxas fixas (diferentes de ETH ou BTC); permitir visibilidade e adoção mais fáceis, simplesmente mostrando as flutuações da taxa de câmbio; permitir oportunidades de arbitragem.

Reserva de valor para a cobertura de longo prazo para os mineiros cobrir os custos recorrentes de garantir uma renda estável para quem quer se beneficiar das vantagens da tecnologia blockchain (transparência, segurança, imutabilidade) sem perder garantias de confiança e estabilidade hoje fornecida pelas moedas fiduciárias contra as moedas de criptografia.

Existem três categorias principais de stablecoins.

Fiat colateralizado IOU centralizado (stablecoins apoiados por moedas fiduciárias, apoiadas por garantias).

Cripto-colateralizada (Limites de coeficientes estáveis, stablecoins crypto-pegged). Notas promissórias descentralizadas de IOU estáveis apoiadas por criptografia e / ou múltiplos ativos, respaldados por garantias.

Seigniorage não há garantias (mecanismos descentralizados de estabilização bancária e mecanismos de estabilização algorítmica).

As stablecoins têm muitas limitações inerentes aos seus mecanismos. Qualquer sistema centralizado é uma fonte maior de risco, pois representam alvos para hackers, já que são responsáveis por bilhões de trocas por dia e armazenam a maioria deles em seus servidores.

Sem transparencia, difícil, até impossível, confiar. Além disso, os custos e processos reais são opacos e podem envolver taxas mais altas e atrasos devido a picos de demanda mal administrados. Não há garantia de manter fundos ou trocar fichas.

Os limites de coeficientes estáveis (stablecoins crivado de cavidades). A volatilidade colateral dos ativos criptográficos usados como garantia dificulta a manutenção da vinculação. Se as moedas criptográficas que suportam moedas estáveis enfrentam quedas enormes, o mesmo acontece com as garantias.

Um oráculo de alimentação descentralizado é necessário, mas ainda não existe. Até que apareça, essas soluções descentralizadas apresentarão falhas de segurança e grande potencial de manipulação.

Em outras palavras, as garantias excedentes são necessárias para o backup de um stablecoin.

A Seigniorage partilha as limitações das stablecoins. Os oráculos descentralizados no preço têm que ser confiáveis. Exceto que o preço é absolutamente central aqui.

As políticas monetárias permanecem complexas, pouco claras e não comprovadas. Os incentivos descritos podem não ser suficientes. A estabilização é muitas vezes parcialmente mantida através de mecanismos centralizados de reserva centralizada da base.

Apenas alguns projetos de stablecoins estão vivos e a maioria sofreu grande volatilidade e diminuição de valor.

Os stablecoins podem reduzir significativamente as barreiras à entrada no mercado, levando a uma adoção massiva de tecnologias blockchain. Muitos projetos diferentes com diferentes abordagens estão vivos ou em produção, mas a partir de agora não há melhores práticas claras.

A volatilidade continua a ser um grande obstáculo à adoção de tecnologias de blockchain e criptomoedas. O número de projetos que trabalham para resolver esse problema confirma esse fato. Alcançar a estabilidade é fundamental; conseguir isso é a nova febre do ouro cripto.

De fato, com as moedas estáveis que preenchem a função inicial do dinheiro, pode haver um mundo descentralizado com mecanismos eficientes de criptografia econômica que alimentam aplicativos que não podem ser parados. De certa forma, isso fecharia a lacuna entre a web 2.0, monetizada por moedas fiduciárias, e a web 3.0, acionada por ativos de criptografia.


A adoção da criptomoeda ocorrerá em várias fases.

Tenho acesso à criptomoeda - isso tende a ser mais centralizado / Uso criptomoeda - isso tende a ser mais descentralizado.

Na fase de investimento, as pessoas especulam e tentam ganhar dinheiro com criptografia. É aqui que 90% das atividades estão acontecendo, principalmente por meio de trocas centralizadas.

Na fase de utilidade, as pessoas começam a usar criptografia como uma rede de pagamento, transacionando bens e serviços reais, interagindo com
ÐApp ou dapps.

App é um aplicativo informático desenhado para smartphones, tablets e outros dispositivos, que permiten efetuar tarefas concretas.

ÐApp (escrito Ð estranho e pronunciado como Di-app) é um aplicativo descentralizado, ou seja, que depende da comunidade de usuários. Aplicativo descentralizado pode ser um aplicativo móvel ou um aplicativo da web que interage com um contrato inteligente para executar sua função
em um programa de computador que se executa quando as condições que foram programadas em seu código são cumpridas.

É aí que cerca de 10% da atividade acontece hoje, principalmente através de carteiras descentralizadas - controladas pelo usuário.

Se a fase de investimento atrai pessoas suficientes para que uma massa crítica de usuários seja atingida, estimula a fase de utilidade para a ferramenta permanecer na rede.

As trocas tendem a ser mais centralizadas porque se integram ao sistema financeiro tradicional. Por exemplo, a necessaria conexão com a conta bancária para a compra de criptografia. Isso significa que trabalha de perto com bancos e reguladores para construir sistemas compatíveis. Há muita interação com o mundo da banca em cada país para fazer funcionar a criptografía de moedas.

Carteiras cripto-criptográficas, em contraste, são mais descentralizadas - o cliente controla seus próprios fundos.

O ponto principal é que haverá produtos centralizados e descentralizados que criarão um sistema financeiro aberto, assim como os IPs (centralizados) e os navegadores (descentralizados) desempenham um papel fundamental no ecossistema da Internet.

É uma falsa dicotomia colocar um contra o outro porque ambos são parte da solução, criar produtos centralizados e descentralizados que ajudem a acelerar a adoção de um sistema financeiro aberto.


Minimização, rastreamento e negociação de confiança entre iguais.

Há uma criptomoeda na idéia de que as redes nodais podem transferir com segurança valores sem pontos centrais de controle. Existem em uma blockchain onde a rede pode coletivamente alcançar consenso sobre as informações através dos limites de confiança. Mas também existem criptogramas  na ideia de que as moedas virtuais podem ser financeirizadas em ativos negociáveis.

Inovações revolucionárias no caminho para uma adoção significativa, que, no entanto, são essencialmente evolutivas como um conjunto básico de princípios de desenho e fundamentos tecnológicos - sem confundir os detalhes da mineração com o valor digital para intercambio na descentralização da confiança.

Confiança implica vulnerabilidade. As pessoas, governos e empresas em que confiamos podem se tornar indignos de confiança, por várias razões.
Bitcoin mostrou que o valor poderia ser confiável sem confiar em ninguém em particular para verificar transações.

A promessa das criptomoedas é obter os benefícios da confiança sem os danos da confiança.

A idéia, se levada a bom termo, poderia transformar a sociedade. Significa ter empresas transparentes que reflitam a vontade de seus gestores, ou governos que reflitam a vontade dos seus cidadãos. Uma internet liberada do corruptor valor de extração de poderosos programas de computo, das noticias falsas, ou da automção maciça da vida diária para a melhoria da humanidade.

A descentralização é valiosa em todos os aspectos.

A blockchain começa a partir da premissa de que nossa confiança é muito limitada. Não só realmente confiar em nós mesmos, na nossa própria organização; mas em nenhuma outra pessoa ou empresa, e até mesmo no governo.

O mundo está cheio de processos, especialmente entre grandes empresas e governos, onde as coisas devem ser rastreadas de uma zona confiável para outra.

As empresas gastam trilhões por ano globalmente em logística, que é a abreviação de colocar coisas em sistemas de transporte controlados por outros.

Fabricantes, distribuidores e varejistas mantêm seus próprios registros confiáveis, embora independentes, dos mesmos itens que passam por cadeias de suprimentos.

Por exemplo, quando você entra em um novo hospital ou consultório médico, seus registros médicos não andam necessariamente com você. Eles são ainda menos propensos a sair juntos com os novos dados que você gera.

Todas essas avarias no fluxo de informações alimentam o temível buraco conhecido como custos de transação. O esforço para resolver dito fluxo é a força neural da economia.

Uma parcela significativa dos custos de transação entre as empresas, e dentro delas, decorre da elasticidade limitada da confiança.Se todas a s partes de uma transação confiassem nas informações envolvidas, mesmo que não confiassem umas nas outras, os custos poderiam cair e o desempenho melhorar drasticamente. Essa é a essência da visão blockchain.

As criptomoedas são sobre minimizar a confiança. Blockchain é sobre estendê-la.

Confiar nos seus próprios registros em uma cadeia de blocos equivale a confiar nos registros de todos os outros, porque esses registros são um e o mesmo. A duplicação da liquidação, a duplicação adicional da reconciliação, a duplicação adicional de auditorias e, talvez, a duplicação adicional de relatórios regulatórios podem se agrupar na transação original.

A descentralização aqui é uma meta de desenho entre vários requisitos, não um requisito fundamental, como no caso de criptomoedas. Portanto, esses sistemas normalmente são autorizados, com funções essenciais limitadas a participantes identificados.

Como nas criptomoedas, há aspectos que ainda são especulativos, e como a tese blockchain não pressupõe mudanças radicais em mercados ou modelos de negócios, trata-se apenas de uma questão de grau.

Você não precisa de um blockchain para criar dinheiro digital. É a condição que os bancos não podem intermediar, os governos não podem bloquear transações, e ninguém pode influenciar na oferta monetária que o Bitcoin tem um propósito.

As soluções tradicionais de banco de dados não resolvem esses problemas porque as pessoas e empresas envolvidas não concordam na prática.
Para o operador de criptografia, tanto a confiança quanto a ausência de confiança não são nada além de meios para um fim conhecido como liquidez.

As blockchain autorizadas também suportarão ativos simbólicos, inclusive moedas eventualmente soberanas. A diferença é que a meta será eficaz rastreando mais do que uma negociação lucrativa.

Blockchain para esta categoria enfatiza o valor do livro distribuído sobre a moeda ou a descentralização. Precisamente, a maioria das criptomoedas e criptos usam blockchain, mas nem todo sistema de cadeia de blocos emprega a estrutura de dados vinculada a uma cadeia hash.

As ofertas de token de criptomoeda se transformam em instrumentos de negociação e giram como instrumentos financeiros cada vez mais complexos a partir dos tópicos que produzem.

A escala potencial é imensa, com mercados de trilhões de dólares nada incomuns nas finanças modernas. Onde esse esforço diverge do primeiro é que ele vê criptomoedas não como uma maneira de facilitar atividades sem confiança centralizada, mas como uma nova classe de ativos de investimento.

Por serem nativamente digitais, os cripto passos podem, em teoria, ser comercializados com mais eficiência do que os instrumentos existentes. Eles são inerentemente flexíveis e globais.

Uma vez estabelecido o valor fundamental de um token digital em uma rede descentralizada, por que não usá-lo apenas para ganhar dinheiro?

Engajar-se na formação de capital socialmente ideal, cripto passos que dependem do fato da criptomoeda, porque é preciso haver algo valioso para o comércio.

O criptograma separa a função de troca de tokens de criptomoeda de suas funções de utilidade. Você coloca um valor nesses tokens com base naquilo que obtém fora do aplicativo. Em teoria, mais demanda para uso no aplicativo significa menos oferta disponível, o que eleva o preço.

Na prática, nenhuma das aplicações é significativa ainda, portanto, o valor dos tokens é altamente especulativo. Mas é o apetite pelo risco que impulsiona os mercados financeiros.

Às vezes, porém, essa especulação leva os mercados a um precipício. A questão-chave para os cripto passos é como os instintos especulativos serão modulados.

Se os mercados de criptografia se desenvolvem, existem todos os tipos de possibilidades interessantes para fazer token de coisas físicas como commodities e imóveis, coisas digitais como propriedade intelectual e outros tipos de direitos, usando as ferramentas de engenharia e análise financeira que se desenvolveram ao longo dos anos. As fundações necessárias já estão sendo construídas.

As criptomoedas têm potencial disruptivo porque prometem descentralizar o poder. Isso também cria as maiores barreiras para o sucesso. Tanto os sistemas blockchain como as criptomoedas reduzem a descentralização para outros benefícios.

Eles diferem nos usos que têm como alvo, não sendo uma competição para determinar a resposta certa sobre uma maneira de impulsionar economias descentralizadas. O que conta como sucesso ou falha parece diferente dependendo da resposta.

As iniciativas de governo em torno dos livros distribuídos em algo parecido com blockchain, diz pouco sobre as perspectivas de organizações automatizadas descentralizadas. Quanto mais cedo pararmos de tratar isso como um fenômeno unitário, mais poderemos avaliar os desenvolvimentos com precisão.

A maioria, senão todas, das maiores inovações na próxima geração de tecnologia blockchain ainda não aconteceu, porque a civilização avança estendendo o número de operações importantes que podemos realizar sem pensar nelas.

A internet, particularmente por meio de sistemas de classificação, facilitou transações entre indivíduos com pouca ou nenhuma relação social.

Em um blockchain, cada vez que uma transação ocorre, com uma parte enviando valor ou informação diretamente para outra, os detalhes dessa transação - incluindo sua origem, destino, registro de data e hora - são adicionados ao que é referido como um bloco.

Usando criptografia, a cadeia de blocos aumenta drasticamente a escalabilidade social, ou a capacidade de colaborarem um número cada vez maior de indivíduos e grupos.

Blockchains têm o potencial de aumentar a escalabilidade social a um nível que nenhuma tecnologia anterior possui. Pela primeira vez temos uma maneira de um usuário da Internet transferir propriedade digital exclusiva para outro usuário da Internet com segurança, sem depender da confiança em um terceiro.

Podem ser contratos digitais, chaves cifradas para bloqueios físicos ou bloqueios em línea e propriedade digital de ativos físicos, incluindo carros, casas, ações, títulos e claro, dinheiro como valor digital.

Criptografia é o estudo de técnicas de comunicação segura na presença de terceiros ou de adversários. A criptografia é usada em sites populares, nos chips de cartão de crédito e nas senhas dos computadores. Em todos esses casos, está tentando impedir que um terceiro consiga dados confidenciais.

Hash é uma função matemática geral que permite criptografar dados. Sua entrada pode ser de qualquer tamanho; usando qualquer entrada sem depender do tamanho, ele apresenta uma saída de tamanho fixo determinada pelo algoritmo de hashing específico, no casso de Bitcoin, usando uma saída de 256 bits no seu blockchain, mesmo que a entrada seja muitas vezes maior, obtém a mesma saída de tamanho; e é computável eficientemente para qualquer entrada, porque pode descobrir a saída em um período de tempo razoável. 

Funções gerais de hash permitem mapear um grande espaço em um pequeno espaço útil para armazenar e trabalhar com diferentes tipos de dados.

Funções criptográficas de hash são resistentes à colisão. Uma colisão ocorre quando duas entradas diferentes produzem a mesma saída. Embora o tamanho da saída seja o mesmo, a saída em si não será idêntica a outras saídas. Quer dizer, produz saídas do mesmo tamanho quando os dados são diferentes.

Também é notável que duas entradas próximas não resultem em saídas próximas. O hash resulta completamente diferente com 1 caractere alterado.

Isso é muito semelhante a como dois pontos iniciais próximos em um sistema caótico levam muito rapidamente a duas trajetórias futuras completamente diferentes. É essa propriedade caótica das funções hash que cria resistência à colisão. As saídas são aleatórias e, portanto, é improvável que colidam, mas são capazes de mapear o infinito para um espaço finito, o que nos permite compactar os dados.

Isto é particularmente importante se você estiver enviando valor. A chave pública para sua carteira é produzida a partir da chave privada usando uma função hash criptográfica. Você não quer que outra pessoa seja capaz de fazer engenharia reversa para obter sua chave pública, descobrir sua chave privada e roubar os seus fundos.

Uma função hash é considerada resistente à colisão se ninguém encontrar uma colisão. Em teoria, sabemos que elas existem porque o número de entradas é infinito, mas o número de saídas é finito com apenas muitas maneiras de organizar 64 caracteres.

Na prática, porém, a função hash criptográfica SHA 256 é resistente à colisão, porque ninguém nunca encontrou uma colisão e as chances de isso acontecer são quase infinitas.

Se todo computador já fabricado pela humanidade estivesse tentando encontrar uma colisão desde o começo do universo, as chances de que isso aconteça são menores do que as probabilidades totais. Então, é possível, mas há muitos outros problemas com os quais devemos nos preocupar primeiro.

Os hashes parecem aleatórios, mas na verdade são determinísticos. Suas saídas são, portanto, reproduzíveis, de modo que, desde que você use a mesma entrada, você sempre obterá a mesma saída. Isso significa que duas partes diferentes que conhecem a entrada podem verificar se a outra pessoa também conhece a entrada, mostrando seu hash para a outra parte.

A segunda propriedade para uma função hash criptográfica está oculta. Ocultar significa que, se você receber a saída, não há uma maneira possível de descobrir qual foi a entrada. Ou seja, não há como um observador terceirizado saber. No entanto, se eu sei a entrada, então posso facilmente verificar se você sabe ou não, verificando o seu hash.

No entanto, se alguém vir o hash, ele não poderá usá-lo para descobrir a entrada. Isso permite que aqueles que conhecem a entrada se comuniquem com segurança sobre ela em um canal público usando a saída com hash sem se preocupar com o fato de que um observador de terceiros possa descobri-la.

É que eles são quebra-cabeças amigáveis. Isso significa que, se alguém quiser gerar um hash que produza a mesma saída, é extremamente difícil encontrar outro valor que atinja exatamente esse objetivo.

O algoritmo para gerar o hash é tentar todas as sequências possíveis, ordenadas por comprimento e depois por ordem alfabética, até obter uma que tenha o mesmo valor. Há um palheiro muito grande para procurar uma agulha muito pequena, sendo um problema mais que premente.

Outra maneira de dizer isso é que as funções criptográficas hash são muito difíceis de reverter. Esta é a principal característica que faz um hash criptográfico em comparação com um hash usado em estruturas de dados ou um algoritmo de compressão.

Ter essa qualidade é importante porque o blockchain é um livro de registro evidente, um registro de transações à prova de adulteração.

A propriedade de quebra-cabeças é o que a torna inviolável. Se alguém quisesse substituir uma entrada, seria impossível fazer isso sem que outros participantes pudessem saber.

Usando uma função hash criptográfica, até mesmo pequenas alterações na entrada resultarão em saídas drasticamente diferentes, tornando a entrada resistente a violações.

As funções criptográficas hash parecem aleatórias e, portanto, não têm colisões, não podem ser revertidas e ocultam entradas, mas, ao mesmo tempo, são completamente determinísticas. Isto é o que os torna úteis para construir cadeias de blocos de hashes.

E se você quisesse coletar hash de dados como um monte de documentos ou uma sequência de transações? O que precisa é de uma função hash para a qual alterar qualquer coisa que resultaria em um hash final diferente, sendo esta uma função hash transitiva.

Hashing em geral, e ponteiros hash em particular, são um componente central da propriedade minimizada por confiança da cadeia de blocos. Um ponteiro de hash é apenas um hash que aponta para alguma outra estrutura de dados como um bloco anterior, que torna fácil ver se alguém interfere nos dados, porque qualquer cambio mínimo mudaria o ponteiro de hash naquele bloco e todos os blocos subsequentes.

Os ponteiros de hash garantem a integridade do livro público distribuído ou ledger. Os blockchains têm sido chamados de contabilidade de entrada tripla porque essa estrutura de dados de apontador é a maneira de garantir que o ledger reflita a realidade ou acabará resultando em um hash diferente.

Uma árvore Merkle permite agrupar blocos de dados em uma estrutura de hashes de sequência não linear, ou seja, uma sequência de conjuntos de transações em sua sequência de blocos. Você precisa de uma regra de como percorrer cada conjunto de dados, reduzindo o problema novamente para criptografar uma série consecutiva de ações.

Como acontece com uma cadeia de blocos, desde que saibamos o ponto de hash na raiz da árvore, podemos saber que nenhum dos dados da árvore foi adulterado. Se um bit em uma transação é alterado, então ele muda cada hash subsequente e a adulteração é revelada.

A utilização de uma árvore Merkle é preferível a um resumo de todas as transações, pois permite um teste muito mais rápido e simples sobre se uma determinada transação está incluída no conjunto de todas as transações.

Em resumo, as funções hash adicionam três propriedades: resistência à colisão, ocultação determinística e facilidade de quebra-cabeças para transformar uma função hash geral em uma função hash criptográfica, conectando funções hash criptográficas em conjunto para fazer uma função hash criptográfica transitiva.

Quando se adiciona uma árvore Merkle a uma função hash criptográfica transitiva, obtemos um blockchain. Cada bloco contém um conjunto de transações ´merkleizadas´ que encadeia os blocos.

A inovação da tecnologia de cadeia de blocos foi fazer mais uma regra. Quando você adiciona um novo conjunto de transações em um bloco na cadeia existente, você tem que resolver um problema difícil não maleável.

Isto é o que os chamados mineiros fazem. Eles tentam resolver um problema de matemática muito denso e, quando o fazem, recebem uma recompensa e atrapalham a dificuldade do problema na cadeia. Esse hash da dificuldade é uma prova de trabalho, que é uma prova de quanta energia computacional foi usada para resolver o problema.

Como com uma prova de trabalho na cadeia de blocos o Bitcoin se torna mais valioso, os mineradores ganham mais dinheiro, o que incentiva mais mineiros a participar da rede, o que aumenta a dificuldade do problema.

Qualquer um pode baixar o blockchain em seu computador. A cadeia de blocos com a prova de trabalho acumulada, ou seja, a mais difícil e cara de criar, e considerada a verdadeira blockchain.

Se alguém entregasse o blockchain de Bitcoin atualizada em um disco, se poderia rapidamente estimar a enorme quantidade de energia investida para construir esses dados. O benefício disso é que ninguém pode fingir um blockchain do tamanho do Bitcoin com as mesmas dificuldades em seus blocos sem gastar a mesma quantidade de energia computacional.

No final de 2018, custaria bilhões de dólares comprar computadores e eletricidade suficientes para reescrever o blockchain do Bitcoin desde zero.


O dinheiro valor com a mais intransigente e maior base de detentores vencerá.

A melhor forma de dinheiro será aquela que a maioria das pessoas aceite. O limite de mercado é uma representação dessa dinâmica. 

As criptomoedas são dinheiro, não um ativo financiero.

O incentivo ao desenvolvedor e o valor em poder dos detentores, ou: (1) qual é o valor dos detentores? e (2) como incentivar os desenvolvedores?

No ethos do investimento em tecnologia em um espaço com ativos monetários, os dois fatores são diametralmente opostos.

A conciliação deste assunto também deve responder a perguntas sobre se livrar da comparação ingênua de tokens ou fichas para o investimento tradicional em startups; e começar a entender o papel fundamental que os investidores desempenham.

A falácia é tratar criptomoedas como ativos quando na realidade são dinheiro valor, considerando que estamos falando de incentivos monetarios.

Em vez de apelar para a natureza monetária, um desenvolvedor pode propor noções que atraiam os investidores tradicionais. Mas, na verdade, todas as criptomoedas não geminadas são dinheiro e precisam ser entendidas dessa maneira.

A maioria tem um caso de uso declarado como meio de troca dentro de uma economia quase descentralizada. Um meio de troca e uma moeda é muito diferente do patrimonio. A falha em fazer essa distinção crucial levará a uma série de problemas.

Criação de Valor é igual a Captura de Valor.

O valor de qualquer negócio, centralizado ou não, é o valor dos serviços que fornece ao usuário final. Mas isso não significa necessariamente que a empresa captura esse valor. Os melhores investimentos em participações criam e capturam o maior valor.

O valor de um investimento é baseado no tamanho do mercado e do mercado capturado pelos investidores. As duas categoraís são independentes. Isso tem sido tradicionalmente um problema para projetos de código aberto.

As tecnologias de código aberto, como o Linux, por exemplo, agregaram imenso valor ao mundo, mas o próprio Linux não é capaz de capturá-lo.

A liberdade, a segurança, a flexibilidade e a responsabilidade do código aberto muitas vezes são consideravelmente melhores do que as alternativas proprietárias - mas capturar esse valor muitas vezes é inútil.

Os tokens deveriam ser dos desenvolvedores de código aberto do mundo. Por fim, poderiam abrir o código-fonte e ganhar dinheiro.

Como capturar valor com instrumentos star up usados para arrecadar dinheiro?

Ativo financiero é um contrato que dá aos seus detentores o recurso ao balanço e ao valor de liquidação de uma empresa. Os investidores em ações geralmente estão investindo no aumento do fluxo de caixa. Mas se os tokens não são patrimônio, em que os compradores realmente estão investindo?

A resposta  é infra-estrutura descentralizada.

O equivale a um investimento em infraestrutura ou similar a um investimento simbólico e monetário, sendo token. É também convencer os investidores de que os tokens são semelhantes a ações- um protocolo de infraestrutura para investidores à procura de lucro.

Os tokens de fato fazem parte de uma infra-estrutura quase descentralizada de energia, mas isso não significa que eles necessariamente capturam qualquer valor que eles produzem.

A captura de valor para um dinheiro se resume na oferta e demanda. Essa é a equação de troca na medida em que captura essa dinâmica. Uma construção mental útil que não deve ser usada no vácuo.

O limite de mercado de qualquer coisa é a quantidade de riqueza mantida nela a quantidade de unidades no preço do ativo.

O ouro valendo US $ n trilhões significa que US $ n trilhões de riqueza são mantidos em ouro. O valor de BTC valendo US $ 220 bilhões significa que US $ 220 bilhões de riqueza são mantidos no token.

A velocidade é apenas outra maneira de elucidar esse mecanismo. Para ações e tokens, quanto mais riqueza é mantida, mais ela sobe de preço.

Intuitivamente, faze sentido. Se você comprar algo e vendê-lo imediatamente, isso nega o benefício do preço de comprá-lo em primeiro lugar.

Mas esses mesmos modelos mentais não pertencem ao reino da criptomoeda. Os investidores de ativos usam múltiplos expostos para mapear a criação da captura de valor, quando a estrutura é que, à medida que o uso aumenta, o mesmo acontece com a avaliação.

Tendem a trabalhar pelo patrimônio porque o uso geralmente é mapeado para o fluxo de caixa. Seguem o trabalho de atividade do desenvolvedor para plataformas centralizadas, porque eles tendem a gerar mais fluxo de caixa, quanto mais pessoas trabalham nele.

Agregadores centralizados - Amazon, Google, Facebook, Netflix - precisam reunir uma enorme quantidade de uso para que os ciclos de feedback positivo da criação de valor entrem em vigor.

À medida que o fluxo de caixa de uma empresa aumenta, há um incentivo maior para manter suas ações devido ao recurso legal e ao aumento concomitante no valor do rendimento versus liquidação de dividendos.

Se a capitalização de mercado aumentasse o fluxo de caixa, o rendimento quasi dobraria e o preço tambèm deveria dobrar como resultado de trazer o rendimento de volta ao mercado, pela demanda dos investidores para manter os aumentos capturando esse rendimento plus valorado.

Mas mesmo na ausência de aumentos de preços, um investidor ainda pode se dar bem se o dividendo aumentar.

No mercado de criptomoedas, a suposição tácita de que o uso à criação de valor será verdadeiro, essa melhoria levará uma maior riqueza mantida na criptomoeda, dado que a maior diferença entre capital e dinheiro resume-se no incentivo para asegurar valor.

O dinheiro não é um ativo produtivo. O dinheiro só tem valor por causa da opção que confere aos detentores, sendo um subproduto da demanda de dinheiro de outras pessoas.

Diferentemente dos ativos financieros, as criptomoedas e o dinheiro não têm absolutamente nenhum recurso sobre fluxo de caixa, nenhum direito preferencial, nenhum fluxo de dividendos e nenhuma parcela proporcional do valor de liquidação.

Se você está segurando um dinheiro, está apostando no valor de mercado permanecendo o mesmo ou aumentando no futuro, portanto, certamente armazenando seu valor.

Dada a estrutura acima, é uma aposta em que a mesma quantia ou mais riqueza seja mantida no ativo mais tarde, embora, ao contrário do ativo financiero, o dinheiro não é um ativo produtivo.

Manter dinheiro o torna totalmente dependente das ações dos outros. A única maneira de obter algo é se outras pessoas o aceitarem em troca por bens e serviços consumíveis.

Uma moeda tem valor porque todos acreditam que tem valor. Ausente a crença compartilhada, não há valor intrínseco em manter um dinheiro em moeda.

Toda vez que você está usando um dinheiro, alguém está exigindo o ativo monetário de você. E dado que o ativo monetário não é consumível, a única maneira que alguém exigiria é se eles também acham que podem usá-lo para exigir em troca outros bens e serviços.

Como um recurso monetário pode acumular valor se baseia apenas em seu uso?

Pelo teorema de regressão de criptomoeda - um processo em direção à monetização de ativos de criptografía.

Na teoria do origem do dinheiro, isso não significa descrever as criptomoendas como um ativo criptográfico que acumulará valor com base em onde está hoje.

As únicas criptomoedas que acumularam valor serão aquelas que primeiro começam como um ativo mantido para fins especulativos. Os primeiros investidores em um novo dinheiro são recompensados generosamente se forem adotados. Os detentores iniciais não têm muitas oportunidades de trocar o ativo por bens e serviços - o risco significativo debe ter uma recompensa proporcional.

É a introdução de uma forma restrita de utilidade que apenas reflete a progressão de um ativo puramente especulativo para com uma demanda especulativa de uso restrito, que finalmente torna-se dinheiro como um ativo que você precisa e usa, e que também é um investimento futuro.

Um dinheiro verdadeiro não é apenas um ativo com utilidade limitada, mas um sem o qual você não pode sobreviver. É um investimento na incerteza futura e um veículo para transferir riqueza no espaço e no tempo, mas com dinheiro valor.

Há pois um componente de tempo importante e subestimado. Para investir na opção futura, os investidores hoje devem ter confiança de que os investidores no futuro exigirão o mesmo instrumento monetário para a poupança. E os investidores no futuro também exigem as mesmas garantias. O processo acaba se tornando auto-recursivo e não-linear.

O investimento baseia-se no activo que avança, os potenciais investidores comprarão apenas se pensarem que o activo pode passar para o seguinte passo. Assim, os novos investidores só entrarão se pensarem que o ativo têm a capacidade de se tornar um dinheiro generalizado.

É por isso que a credibilidade a longo prazo da política monetária é imperativa. A incerteza sufoca esse processo, pois o valor de um dinheiro depende da confiança dos detentores na natureza futura do ativo monetário.

Os detentores de hoje não farão uma aposta nos detentores no futuro se não souberem a que fatores monetários esses futuros detentores estarão sujeitos.

Mas muitas criptomoedas desafiaram o teorema da regressão criptomoeda.
É porque a natureza e o comportamento da maioria dos investidores é semelhante a um apostador comprando tudo, independentemente do preço e da utilidade.

A maioria dos investidores hoje ainda pensa erroneamente que as criptomoedas irão acumular valor como uma ação e que seu sucesso de investimento depende de uma mera transição de etapa.

No entanto, como as criptomoedas tentam progredir nesse processo, o uso sozinho não será suficiente para sustentar a criptomoeda.

A transição, e aqueles que conduzem os outros sobre a monetização da criptomoeda ao longo deste proceso, são os investidores e detentores de longo prazo.

Claramente, uso não é o único determinante do valor a longo prazo de um dinheiro. É necessária uma transição para uma ampla adoção pelos investidores.

Considerando que o valor da ativo financiero é independente da crença do mercado por causa de sua conversibilidade em ativos e participação proporcional em dividendos, o valor do dinheiro é completamente dependente de outros investidores.

A virtude é separar o preço de um ativo do mercado, porque o capital tem recursos para o fluxo de caixa. Um preço baixo em relação ao valor representa uma boa oportunidade de compra.

Nos mercados de ações, se você investir naquilo que todos os outros acreditam ser verdade, a hipótese do mercado eficiente prevalecerá. Se você acredita no que o mercado acredita, o retorno será igual ao do mercado e seu capital vanguardia.

Com as criptomoedas você quer convergir para o que o mercado está lhe dizendo, porque quanto mais líquida e vendável será sua moeda - mais demanda os outros terão pelo seu dinheiro.

Não siga os desenvolvedores. Siga o dinheiro e os desenvolvedores irão participar.

Quando você está negociando seu tempo por dinheiro, também conhecido como trabalho em linguagem comum - você está apostando que o dinheiro lhe dará mais opcionalidade do que seu tempo / esforço, porque outras pessoas exigirão esse dinheiro de você agora e no futuro.

O dinheiro, a este respeito, é o tempo líquido. Trabalhando por dinheiro está indo na opcionalidade longa. E segurar esse dinheiro hoje é apostar que mais pessoas exigirão esse dinheiro no futuro.

É por isso que a ascensão do Bitcoin está ensinando algumas lições ruins. Se uma ação dobra de preço, ela geralmente se torna menos valiosa por causa da redução no rendimento de dividendos. Com dinheiro, o oposto é verdadeiro.

O BTC é hoje muito mais útil do que quando seu preço era de US $ 1, porque é mais vendável. O valor de mercado hoje é muito maior, indicando que mais pessoas aceitam e exigem bitcoin.

Quanto mais rede tem uma moeda, melhor o que faz com que mais pessoas comprem, reforçando ainda mais esse valor.

À medida que crescem as diferenças de liquidez entre dinheiros diferentes, há menor utilidade em manter qualquer ativo menos líquido.

A detenção de um ativo menos líquido confere um custo de oportunidade e os detentores de ativos se convertem perfeitamente ao ativo com a maior opcionalidade.

Quanto mais pessoas se convertem para ativos mais fortes, e outras pessoas reconhecem isso, torna-se uma profecia auto-realizável.

A pior moeda, em última análise, hiper-inflaciona e a outra moeda em relação a ela hiper-esvazia. Os investidores serão forçados a convergir para o que o resto do mercado está dizendo, constantemente recalculando e fazendo previsões internas de quais ativos são mais propensos a fazê-lo.

No mercado livre, tende a haver apenas uma moeda de reserva por causa desses fortes laços de feedback positivo de valor.

O processo de toda a riqueza convergir para um ativo monetário é determinado pelo valor que os detentores de longo prazo dem.

Sem detentores de longo prazo, não há como iniciar uma nova moeda e progredir no ciclo. Nenhum mercado de criptomoedas existiria sem eles. E criptomoedas teriam zero chance de derrubar qualquer competidor monetário reinante sem que os investidores continuassem com a intransigência e a vontade implacável de manter, uma chave na engrenagem do teorema da regressão, onde o medo de perder se transforma em medo de sair.

O valor de mercado e a avaliação de qualquer moeda dependem da quantidade de riqueza que é detida. Pelo teorema da regressão decir ptomoeda, investir em uma moeda digital é, em última análise, uma aposta em outras pessoas que exigem manter o ativo no futuro.

Para qualquer criptomoeda ganar, e também para qualquer um de nós ganhar dinheiro, tem que se apaziguar os investidores de longo prazo.

Os desenvolvedores poderiam tentar lançar uma moeda objetivamente melhor, mas isso não significa necessariamente que ela ultrapassará a inferior. Para isso, os investidores precisam seguir. A única maneira de os desenvolvedores serem pagos com uma criptocorrência é se eles criam algo que os investidores querem manter.

Desenvolvedores e mineiros são forçados a trabalhar em qualquer coisa que os investidores estejam sinalizando que desejam, como o testigo segregado ou segwit2x mostrou.

O valor dos tokens que eles recebem como compensação é baseado na demanda do investidor por isso. Existe um poder de feedback que é catalisado pelo interesse do investidor. Os principais desenvolvedores trabalham nisso e compram bitcoins para capitalizar sua ascensão. Mais investidores se juntam por causa do forte roteiro técnico.

Mas os desenvolvedores só são incentivados ou compensados por uma criptomoeda se os investidores a valorizam muito.

Os desenvolvedores não podem criar valor em um vácuo com um ativo de criptografia. Eles precisam criar algo que os investidores exigem para manter. E, finalmente, por causa do teorema da regressão em criptografía, uma avaliação inicial alta que geralmente determina uma parcela significativa do pagamento, será baseada em uma avaliação de longo prazo.

A única razão pela qual os tokens de utilitários atualmente incentivam os desenvolvedores é porque os especuladores e investidores são detentores de tokens por engano. Os desenvolvedores estão tirando proveito da incerteza dos investidores e das sobrevalorizações dos operadores.

O Bitcoin Core é um dos repositórios de código aberto mais ativos que já existiram. O que é relativamente exclusivo para o bitcoin é que, como uma alocação de salário ou pré-venda não é concedida aos desenvolvedores, muitos deles são detentores forçados se quiserem capitalizar seu trabalho de desenvolvimento.

Uma vez que os detentores de longo prazo são fundamentais para o sucesso de uma criptomoeda, não poderia haver melhor sinergia do que a sobreposição da base do detentor e da base do desenvolvedor.

Esta é a forma mais comum de incentivo ao desenvolvedor em bitcoin. Em vez de ignorar os incentivos do desenvolvedor, o bitcoin quase elegantemente força seu alinhamento. Os desenvolvedores só são pagos se apaziguarem os investidores por meio da valorização simbólica a que muitas vezes são os maiores investidores forçados no jogo.

Mas, francamente, pode ser que esta revolução tecnológica tenha sucesso sem a ajuda de investidores de capital de risco comprando valores cripto. Por mais empolgante que isto seja, às vezes pode ser mais benéfico tê-los de nosso lado.

Não é necessariamente bom que o financiamento de risco esteja superando o financiamento tradicional e não criptográfico de capital, quando a maior parte desse capital também pode ser realocado para suportar melhor o dinheiro criptografado que existe.

Desenvolvedores seguem os investidores, e enquanto os investidores continuarem a valorizar as Ofertas Iniciáis de Criptomoedas ICOs, os desenvolvedores as lançarão.

O mesmo acontece com os incentivos para desenvolvedores, e quanto mais cedo os investidores concluírem com o alto risco, melhor podem incentivar corretamente os desenvolvedores.

Os investidores são a peça mais importante do quebra- criptomoeda que desejam, ainda que compensando outros detentores por seu trabalho.

A avaliação é baseada no comportamento do investidor e, portanto, na remuneração do desenvolvedor. Os desenvolvedores seguem os detentores em termos de avaliação, porque os detentores controlam o protocolo.


Ethereum é Turing completo enquanto em Bitcoin não é.

Todas as linguagens de programação completas estão Turing e, portanto, tudo que pode ser programado com uma linguagem pode ser feito com outras, o que apenas altera o desempenho e o código.

O conceito de Turing permite que um computador seja programado para realizar qualquer tipo de operação.

Turing é um teste de inteligência artificial (IA) que serve para identificar se uma IA pode ser considerada humana. Baseia-se no princípio de que, se um interlocutor humano fala contra uma máquina e não é capaz de discernir se ela é, essa máquina pode ser considerada exibindo um comportamento inteligente comparável ao de um ser humano.

Uma Organização Autônoma Descentralizada (DAO) é uma forma de Criptografia Artificial Inteligente e singular de processo computacional que é executada autonomamente em infra-estrutura descentralizada com manipulação de recursos.

A rede Bitcoin e a rede Ethereum são DAO. Um DAO pode correr em outros DAOs; por exemplo, os DAOs que executam os contratos inteligentes da rede Ethereum. É apenas um script programado que está lá, esperando por uma transação para ativá-lo, para transferir execuções de acordo com a lógica.

O consumidor aciona um DAO que não requer intervenção humana para operar e que não pode ser desativado porque está sendo executado em uma infraestrutura descentralizada.

Turing completo em um contexto computacional é um conceito da teoria das linguagens formais, que é entendido como aquela linguagem que possui um poder computacional equivalente ao que é chamado de Máquina Universal Turing.

Um sistema que poderia, teoricamente, realizar qualquer cálculo se você tem recursos físicos ilimitados, que aplicado à tecnologia Blockchain e contratos fundamentalmente inteligentes, refere-se à capacidade de um idioma com esse recurso pode ser aplicado para resolver qualquer problema computacional e implementar estruturas complexas, como bucles de computador.

Um bucle de computador é uma instrução de repetição que é executada enquanto as condições de saída não são atendidas. Este tipo de instruções úteis permite que os programas executem tarefas repetitivas por código.

Quando as linguagens de programação não eram tão avançadas, esse tipo de instrução tinha que ser implementada usando as quebras de instrução de código que tornavam o código instável porque era muito difícil de ler e manter.

Bitcoin foi projetado para não cumprir com essa propriedade.

A Ethereum considerou que a linguagem operativa das transações na rede Bitcoin - Bitcoin Transaction Language - era insuficiente e se alguém quisesse evoluí-la tinha que ser incorporada, até que finalmente a Ethereum veio à luz.

O código Bitcoin é construído em um formato chamado script - pequenos programas que executam transações - em pilha usando o Bitcoin Transaction Language.

Mover o valor de uma direção para outra direção envolve mais trabalho do que simplesmente atualizar saldos.

Esse trabalho extra é codificado na linguagem de montagem, que é baseada em uma estrutura do tipo pilha para funcionar. Ou seja, as instruções que você deseja executar são inseridas em uma estrutura de dados de pilha, para que possa operar apenas com os elementos que estão no topo da pilha que executa a operação e, em seguida, segure o resultado outra uma vez dentro da pilha. O novo topo da pilha agora contém o resultado no qual novas instruções podem ser empilhadas e continuar a operar.

As transações no Bitcoin são compostas de entradas e saídas, então elas são conectadas umas às outras. Uma saída é sempre conectada a uma entrada subsequente e uma entrada sempre será conectada a uma saída anterior.

Acontece também que cada um deles está associado a uma função codificada em um script Bitcoin Transaction Language. Para permitir que o dinheiro se deslocar de uma entrada a uma tomada, você precisa executar este código, pois é a único que vai lidar com liberar e também verificar as assinaturas que bloqueiam uma certa quantidade a estar realmente autorizada a fazê-lo.

Para implementar um contrato inteligente no Bitcoin, um dos pontos em que você tem que tomar cuidado especial é na codificação do script. Um processo muito complexo que torna esse tipo de linguagem difícil de programar e depurar.

O Blockchain do Bitcoin em sua totalidade é o Turing completo, mas seus scripts não são porque eles não permitem bucles.

Quando se diz que uma Blockchain é Turing completa refere-se a um sistema que controla a crescer continuamente e não parar, o que pode ser transformado por iterações N de um laço, em N iterações sequenciais precisas, uma das condições iniciais que são assumidas para um sistema ser Turing completo, desde que tenha recursos ilimitados.

Essa visão do que se entende que deveria ser Turing completa, é a base que fez com que Ethereum aparecesse em cena.

A vantagem que o Bitcoin tem em não ser Turing completo, do ponto de vista de sua estrutura transacional, está em sua simplicidade. e da mesma forma implica que é mais limitado para poder executar tarefas complexas, como contratos inteligentes sem elementos adicionais.

Como os bucless de Bitcoin não são permitidos, não é necessário introduzir um elemento como o conceito Ethereum Gas.

Ethereum é Turing completo pela utilização de estruturas de codificação repetitiva que criam aplicações mais complexas, simples e eficazes, mesmo que isso signifique que tem um mecanismo de Gas recolhido por uma linguagem de alto nível chamado Solidity ou Solidez de Ethereum.

Em qualquer caso, há uma série de problemas que ocorrem devido à imaturidade da tecnologia, independentemente  das plataformas estarem cheias ou não.

Os contratos inteligentes estão em seus primeiros passos, precisamos ver quais são os padrões de desenho que melhor se adequam aos casos de uso a serem resolvidos e que não estão totalmente definidos. E é lógico que eles estejam aparecendo primeiro no Solidity porque é a plataforma mais difundida e usada, e na qual mais interesse está atualmente disponível.

Certamente uma oportunidade para desenvolver algo que, eventualmente, amadurecer como uma ferramenta de algoritmos de criptografia comparáveis, cuja força reside precisamente em que muitas pessoas tentando quebrá-las e seu código é público.

É que Bitcoin, Ethereum, ou qualquer outro cripto moeda ainda estão em sua infância, e sendo obrigados a ter níveis de desempenho bem acima do que agora são capazes de fornecer, e o caso de Solidez não é exceção.

Projetos de Blockchain devem ser desenvolvidos a partir da perspectiva de serem experimentos que ninguém garante que eles não possam ter um erro crítico fatal para sua sobrevivência.

Bitcoin é a criptomoeda original de mais longa duração com os mais altos níveis de hashpower, efeitos de rede, liquidez, capitalização de mercado e, possivelmente, a maior quantidade de holders ou portdores de títulos de última instância.

A natureza de código aberto, global e descentralizada, destas formas de dinheiro digital, torna a governança desses sistemas complexa e até mesmo com pequenas alterações há contenciosos e controversas.

O Bitcoin e outras criptomoedas são uma classe de ativos que estão começando a desafiar os metais monetários como garantia de ativos de valor futuro, além de desafiar os mecanismos e trilhos de pagamento globais existentes.


O poder de aumento da sociedade dos hiperobjetos, é algo preciso para entender sobre a tecnologia subjacente, já que uma grande parte dela provavelmente está relacionada com a novidade do protocolo Bitcoin.

Há uma alienação fundamental para o Bitcoin, que é amplificada pela escala do que ele está tentando realizar. Nesse ponto, não é exagero dizer que as criptomoedas são os objetos tecnológicos mais interessantes da geração atual. 

A criptografía é futuristas, mesmo para estos tempos futuristas. Ao aprender sobre ela, você é empurrado para um mundo onde o próprio dinheiro está sendo interrogado.

Bitcoin como hiperobjeto é parte dos eventos ou sistemas ou processos que são complexos demais, massivamente distribuídos pelo espaço e no tempo, para que os humanos possam controlar. Sabemos nós vivemos com os efeitos locais desses fenômenos, mas principalmente eles estão literalmente além do nosso alcance.

Bitcoin é um hiperobjeto, o primeiro desse tipo. O Bitcoin expande pelo espaço-tempo, uma cadeia crescente de blocos de megabytes ordenados, tanto em todos os lugares como em nenhum lugar.

De suas manifestações físicas fluidas brota até eletricidade barata, armazéns frígidos empilhados com dispositivos termodinâmicos resolvendo quebra-cabeças computacionais que existem apenas para jogar um jogo de adivinhação que é propositalmente inútil.

Portos de entrada / saída como trocas, ou vendas peer-to-peer, ou aceitar comerciantes, alcançam a cima deste mundo inefável onde o Bitcoin realmente existe como protocolo que simplesmente não morrerá. E tudo isso de um livro-razão distribuído não é mais complicado em seu conteúdo do que em um documento do Excel.

Esses conteúdos - as informações sobre eles - também o marcam como um hiperobjeto. Como outros hiperobjetos, os blockchains violam regras normais e transcendem velhos paradoxos.

Por exemplo, alguns se perguntaram como um objeto físico como o cérebro pode conter informações que não são lidas subjetivamente por um observador. Mas o conteúdo informacional das blockchains parece fundamentalmente fixo e definido de uma forma que a maioria das outras informações não é.

O livro-razão distribuído composto por carteiras e seus títulos tem um consenso particular concordado por todos e imposto pela prova de trabalho.

Talvez uma hipótese seja que o próprio cérebro funciona como uma blockchain orgânica, replicando seu modelo de mundo propio através de seus hemisférios, com a consciência sendo o atual consenso neural descentralizado do estado desse modelo.

Mesmo o valor real de um bitcoin individual denota o protocolo como um hiperobjeto. Sua dualidade é fascinante. Ao contrário das informações objetivamente reais em um livro distribuído, o seu valor é totalmente subjetivo.

Uma pilha de contas não é significativa, a menos que o mundo real continue. Nisso, paradoxalmente, o Bitcoin depende de seu próprio sucesso. Se todo o protocolo Bitcoin for avaliado como a moeda número 1 no mundo, ele terá um valor de mercado tão alto que a volatilidade intradiária será necessariamente baixa.

Baixa volatilidade é o necessário para uma moeda utilizável. Portanto, quanto mais alto o valor de mercado do Bitcoin, mais utilizável se torna para compras e preços, e isso é novamente o tipo de ouroboros que significa um hiperobjeto.

Como o ouro, o Bitcoin não tem valor por si só. Como uma economia independente, o Bitcoin não tem utilidade em si mesmo. Sem a possibilidade de apoio nacional, as vitrines nunca exibirão preços em bitcoin nem nunca haverá fichas físicas que comprovem sua existência.

Começou como, e continuará sendo, uma moeda puramente digital. No entanto, o Bitcoin nunca foi destinado a interagir com o mundo físico. O espírito da ideia é, e sempre foi, um experimento para proliferar confiança.

Blockchain construiu um sistema de freios e contrapesos fundado em provas matemáticas e economia para descartar o intermediário. Os sistemas de prova de trabalho substituem a necessidade de uma autoridade central e, ao imitar o interesse próprio da indústria financeira, criaram uma verdadeiro matrix de mineiros que lutam para reforçar a segurança da prova de trabalho.

No entanto, apesar de seu sucesso como moeda, o Bitcoin ainda continua sendo um experimento de confiança. É uma experiência contra a autoridade central - a dos bancos, agências de crédito e outros indivíduos tão falhos confiança quanto nós.


Em ordem de magnitude, a Singularidade é um período futuro durante o qual o ritmo da inovação tecnológica será tão rápido, tão profundo, que a vida humana ficará irreversivelmente transformada.

Embora não seja utópica nem distópica, esta época transformará os conceitos estabelecidos para dar sentido às nossas vidas, desde os modos de comércio até os ciclos humanos e não humanos, incluindo a própria morte.


O Bitcoin é o inicio desta Singularidade. Os projetos de Inteligência Artificial são pré-programados e criptografados para aprender e evoluir mais rápido do que o homem, embora esse seja o começo do Fim da Humanidade?